A Casa da Música Boa - Clique e Ouça!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Paciência...

Esse vídeo aí é um dica da Tânia, lá de Flores da Cunha, freqüentadora assídua e comentarista deste blog (hehehe). Assista, relaxe e tente ter mais paciência...

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Estranho no ninho

É tempo de volta às aulas e isso me traz boas recordações. Bons tempos aqueles do colégio, de muito estudo, mas de muita diversão também. No começo tem o lance da inocência, do ir à escola só pra estudar e com o tempo tudo vai mudando. Assistir aula numa certa etapa da vida é algo tão raro... Mas nesse momento flashback o que me vem à cabeça primeiro são os momentos "estranho no ninho". Aqueles em que se entra numa sala de aula e todos parecem "ets" ou então você se sente o et. Todo mundo se conhece e você ali, tentando achar alguém com quem já cruzou em algum momento da vida pra puxar um papo e se entrosar. Esse é o pior dos momentos quando se trata de início de ano letivo. Vivi isso em pelo menos duas oportunidades, uma quando entrei numa sala de aula pela primeira vez (tinha 6 anos) e outra quando iniciava o segundo grau. Pior de tudo que acho que esta segunda experiência foi mais traumática. Imagina vir de quatro anos praticmanete convivendo com os mesmos colegas de segunda a segunda e de repente você entra numa sala com outras 39 pessoas e só uma conhecida (mesmo assim que eu não via há tempos). Me senti o próprio peixa fora d'água. Assim como eu certamente tem muita gente aí passando por situações embaraçosas assim, mas aqui vai um conselho de quem já passou por isso: não liga, passa rapidinho. Em poucos dias o colega do lado vai virar seu melhor amigo e em semanas a galera da sala vai parecer tão familiar que nem vai notar a diferença entre estar em casa e na sala de aula. O bom disso tudo é que você terá muitas histórias pra contar lá adiante. E tem mais, vai por mim, quando os tempos de escola terminarem você vai sentir saudade, e como vai.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

De virada de novo...

Pois é, o Esportivo perdeu de novo para o Grêmio, e de virada como na quinta-feira. Outra vez o time de Bento foi refém de seus próprios erros. Falha de posicionamento nos dois gols sofridos, e aqui cabe um parêntese. Num sistema em que você atua com 3 zagueiros não se pode admitir erros de marcação que resultem em dois gols oriundos de bola parada. Zagueiro de sobra, mas todo mundo mal posicionado, aí não há santo forte que ajude. Mas os erros cometidos não se limitam à defesa. Na frente também, falta pontaria, falta poder de decisão. Quem o tem não está sabendo mostrar. Na hora de botar a bola na rede parece que dá um bloqueio. E não é que o Desessards tinha razão quando disse que o Esportivo só estava líder porque não havia enfrentado Caxias e Grêmio!? Nos três jogos contra estas equipes (2 contra o Grêmio e 1 contra o Caxias) foram três derrotas. Tá na hora dos jogadores mostrarem que quando se disseram "fechados" com o Cristian de Souza a intenção era ajudá-lo a permanecer. Uma nova derrota no clássico do sábado pode ser fatal para o jovem treinador. A aposta certa na hora errada? Vai saber!

Reparem na foto do Jefferson Botega. William Magrão sobe para marcar o primeiro gol do Grêmio marcado pelo lateral Polaco. Um zagueiro assiste e os outros dois, estão onde?

O jogo da volta

Bom, em primeiro lugar preciso me dar as boas vindas, afinal de contas não postava nada desde a última segunda. Hoje à tarde tem jogo de volta na Montanha. Não se trata de um mata-mata, aquele famoso jogo de ida e volta onde o time de pior retrospecto no duelo fica de fora. É um jogo de volta porque na quinta-feira Grêmio e Esportivo se enfrentaram no Olímpico. A partida de hoje é vital para o Esportivo, pois a terceira derrota consecutiva pode ser péssima para o futuro do alviazul dentro do Gauchão, além de ter o poder de influenciar no futuro do treinador do Espo, que pela "lei do futebol" poderia cair ou no mínimo ficar "prestigiado". Mas para o torcedor do Esportivo fica a expectativa da vitória pelo que foi apresentado no duelo do Olímpico. O primeiro tempo do time do Cristian de Souza foi impecável e se repetido logo mais diante de um Grêmio que não assusta. Estarei lá, trabalhando pela Viva News e torcendo pelo bom resultado do Tivo que o mantém no topo da tabela, próximo do líder e muito próximo da classificação. Um empate não pode ser considerado resaultado ruim, mas não é o ideal já que tem "clássico da polenta" no sábado, em Caxias. Por todos estes ingredientes o jogo promete, e como promete!!! Se der eu volto à noite pra contar um pouco mais do que vi por lá. Ah, esta semana prometo que vou estar aqui diariamente...

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Olha o nível!!!

Quem me chamou a atenção pra esse vídeo aí foi o Romulo Balbinotti, que detesta a gaúcha Natália do BBB8. Assistam e vejam o nível do papo que rola em rede nacional...


domingo, 17 de fevereiro de 2008

Fim de clássico

Terminou mais um "clássico da polenta" e o pior, com derrota do Esportivo. Não pretendo falar muito hoje porque a jornada foi longa e cansativa, mas acredito que além de sorte e uma pitada de competência também faltou ao time de Bento um pouco mais de vontade de vencer. Novamente sou obrigado a dizer que não gosto deste tal de 3-5-2. Ô esqueminha sem-vergonha!!! Jogar com três zagueiros é um atentado ao futebol. Claro que alguém vai dizer que existem times campeões jogando assim, mas não lembro de nenhum, pelo menos não nos últimos anos. Entrar em campo com três homens de zaga e mais dois volantes deixa evidente que a primeira coisa que se pensa é em não perder o jogo. Em casa não pode ser assim, o time precisa ir pra cima, se descuidar de vez em quando em prol de um resultado positivo e que faça a felicidade da torcida ao mesmo tempo que mantém o time bem na tabela. Não que seja necessário jogar só para o torcedor, fazer bonito o tempo inteiro, mas quando se sofre um gol a coisa complica. Fica aqui um desafio: se o 3-5-2 é um esquema tão bom assim, porque logo que o time sofre um gol a primeira providência é desfazê-lo? A gente se vê por aí!!!

Domingo de clássico

De volta e o velho horário - pela primeira vez em anos eu rezei pelo fim do horário de verão - e de volta às postagens dominicais. E que dia hoe hein!? No final da tarde teremos um "clássico da polenta" pra sacudir a Montanha. Um clássico e tanto, pois o Caxias precisa voltar a vencer e o Esportivo líder tentando manter a boa campanha. Hoje, com tempo bom ao contrário do último domingo, é de se esperar um público daqueles lá pros lados da Avenida Alviazul. Minha esperança hoje é de ver a Montanha como nunca vi em quase 8 meses de trabalho em Bento. A maioria da pessoas com quem converso, e que têm um pouco de comentarista esportivo, aposta num empate. O resultado, bem provável diga-se de passagem, não seria de todo ruim desde que o Grêmio também ficasse no empate com a Ulbra. Nesse caso os dois jogos seguidos (quinta no Olímpico e domingo na Montanha) serviriam para definir o líder do grupo. Hoje é um daqueles dias em que a emoção fica à flor da pele. Sem exageros, atuar na reportagem de um jogo desses, sentir a vibração, a apreensão e até mesmo a irritação da torcida, os nervos incontroláveis à beira do gramado, isso tudo me deixa arrepiado. É nessas horas que eu agradeço a Deus por ter escolhido essa profissão. Ô coisa boa!!!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Que semana!!!

A semana tá f... Uma verdadeira violência e tempo pra postar quase zero, mesmo assim, cá estou para manter a média e satisfazer os visitantes (ou não). Enquanto ouço o eletrizante terceiro set de Bento Vôlei x Universo, projeto com meus botões o "clássico da polenta" do próximo domingo. Um Caxias que precisa vencer pega um Esportivo motivado e líder que já se prepara para os confrontos da próxima semana diante do Grêmio, primeiro no Olímpico e depois na Montanha. Uma vitória diante do Caxias seguida de 2 ou quem sabe 4 pontos nos confrontos contra o tricolor podem significar a classificação antecipada ou quase isso. Com 18 pontos (vitória sobre o Caxias e 2 empates contra o Grêmio - e dá pra vencer) o Tivão entra no returno precisando vencer os jogos em casa para garantir vaga entre os quatro. Obviamente que se quiser mais, se quiser terminar em primeiro lugar e obter vantagens para a fase seguinte, o Esportivo terá que buscar pontos fora contra Ulbra, o próprio Caxias no Centenário e o Santa Cruz. Mas tudo isso fica para o campo das projeções. Sonhar, fazer cálculos, projetar resultados, é coisa que se faz fora de campo, supondo que os resultados positivos venham neste ou naquele confronto. É dentro de campo que as coisas se definem. O detalhe é que só faço (e não sou o único) estes cálculos porque os resultados e as atuações regulares me permitem fazê-los. Vamos que vamos!!! Ah, no final desta postagem o Bento acabava de perder o terceiro set. O time do Ponticelli venceu os dois primeiros e precisa vencer o próximo pra evitar o tie-break e subir na tabela rumo á classificação. Na quadra a situação é bem mais complicada que no campo, mas também dá.

Ah, li a pouco também que o Vagner Mancini não é mais técnico do Grêmio. Lamento dizer isso, mas eu avisei que com aquilo que foi visto na pré-temporada em Bento Gonçalves aquela base formada no início do ano não duraria meses. Dito e feito! Celso Roth de novo!?

FOTO: Osny Freitas

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Coisas que o tempo não apaga

Claro que não vou listar neste espaço todas as coisas que o tempo não apaga, até porque isso absorveria todo o espaço disponível para o blog, mas hoje, dando aquela famosa navegada dois fatos me chamaram a atenção, razão pela qual estou escrevendo a respeito. A primeira delas que hoje se comemora (pelo menos por parte dos colorados) os 19 anos do "Grenal do Século". O jogo histórico em que o Inter com um jogador a menos buscou a virada ainda está quente na memória dos torcedores. Os gremistas, claro, gostariam de esquecer, enquanto os colorados exibem com a inveja o placar: 2x1. Momentos inesquecíveis que movem a paixão pelo futebol. Um outro lance, este bem longe dos gramados, também me fez parar para uma leitura. Michael Jackson lançou hoje um vídeo bem breve onde relembra o famoso disco Thriller, que hoje completou 25 anos desde seu lançamento. Por incrível que pareça, e mesmo com tudo que aconteceu com o menino Jackson -hoje com 49 anos - o disco permanece como o mais vendido da história. Segundo o Guinnes Book o álbum solo mais vendido no planeta computa 55 milhões de cópias adquiridas mundo afora. Nem o próprio Michael acredita nisso. Pra mostrar que o tempo não apaga mesmo, dêem uma olhada nos vídeos:

GRENAL: http://www.youtube.com/watch?v=PIJhU3Km-S8&feature=related

THRILLER: http://www.youtube.com/watch?v=AtyJbIOZjS8

Enquanto não consigo postar...

Como o tempo anda escasso, aí vai mais um videozinho muito bacana...

domingo, 10 de fevereiro de 2008

A vez do interino

Tô passando por aqui pra deixar registrada importância da partida de logo mais em que o Esportivo pega o Santa Cruz. Um jogo que por si só já seria pedreira ganhou proporções ainda maiores a partir das declarações do Desessards de que a liderança do Tivo é relativa, do Rodrigo Ribeiro que prometeu "entubar" o alviazul e, claro, da saída do Gilmar Iser e a novela que se criou a partir dela. O jogo de hoje é, acima de tudo, uma prova de fogo para o grupo do Esportivo. É hora de entrar em campo e mostrar que nada mudou (apesar das mudanças) e de que a equipe está no caminho certo ainda que no meio dele haja tempestades. Quando eu falo em grupo, inclui-se obviamente o técnico interino Cristian de Souza. Jovem, porém decidido, ele sabe que mais do que estar no comando provisório ele está sendo avaliado. Se conseguir manter o padrão ele pode permanecer por mais tempo ou quem sabe até ser efetivado. Uma derrota pode significar o retorno imediato à condição de auxiliar e mais um período de aprendizado, necessário é bem verdade. A tarde é de futebol na Montanha e tomara seja a tarde do interino, a tarde da manutenção de uma liderança que pode em breve ser a garantia de uma classificação antecipada. Todos à Montanha!!! À noite eu volto com o resumo do jogo...

Foto: Fabiano Mazzotti

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Pra desopilar

Como o dia foi pra lá de cruel, hoje vou me limitara postar um vídeo pra lá de bacana da Fernanda Takai. Versão de Nara Leão que faz parte do álbum recéwm lançado pela vocalista do Pato Fu.


De ontem pra cá não se fala outra coisa em Bento Gonçalves. Valdir Espinosa, aquele mesmo que comandou o Grêmio Campeão Mundial em 83, foi oferecido ao Esportivo e isso causou aquele frisson na comunidade. Claro que todo mundo sabe que a trajetória do treinador que começou suau carreira no Tivo lhe credencia a ganhar bem mais que o Esportivo poderia pagar, mas, ao mesmo tempo é preciso pensar grande, ousar e, claro buscar apoio na comunidade empressarial para bancar Espinosa. A esta altura do campeonato a direção pode até já ter desistido da contratação do campeão mundial - dizem que o novo treinador, quem quer que seja, vai estar na Montanha no domingo, assistindo ao jogo contra o Santa Cruz -, mas vale o registro e a sugestão do torcedor de que ousadia também ganha jogo. No entanto, caso a vinda não se confirme ninguém poderá acusar a diretoria de não ter tentado, e certamente ela tentou, viabilizar a vinda de Espinosa. A verdade é que a confirmação do Auxiliar Técnico Cristian de Souza no comando interino da equipe mantém o grupo longe das especulações, das tempestades que possam ter vindo com a saída do técnico, aquele que disse lá em Novo Hamburgo que o Esportivo não tem ambição. Alheio a tudo, ou no mínimo distante disso, os jogadores treinam forte, concentrados no Santa Cruz, adversário de domingo e que merece respeito. Domingo é dia de confirmar a liderança, o resto é o resto.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Voltas e reviravoltas

Em primeiro lugar, permitam-me pedir desculpas por não ter comparecido aqui ontem. A causa era boa, trabalhei até mais tarde na expectativa de poder anunciar ainda na segunda-feira o nome do novo treinador do Esportivo. Sim, porque o técnico que ajudou a equipe a assumir a condição de melhor time da competição abandonou a equipe por "um projeto" do Novo Hamburgo, vice-lanterna do mesmo grupo liderado pelo Espo. Gilmar Iser deu um tiro no pé ao fechar as portas do Parque Montanha do Vinhedos com uma saída mais que fora de hora. Por mais que se tenha objetivos na vida e que se esteja sempre em busca de desafios, é preciso um pingo de caráter ao mesmo para admitir que se está deixando uma comunidade em situação delicada. Não que Iser seja insubstituível, muito longe disso, é que o momento não pede mudanças, a situação ao alviazul na tabela não sugeria turbulências, muito menos mudanças drásticas do dia para a noite. Mas, caros blognautas, confesso que não me surpreendi coma a atitude do Gilmar Iser, não depois dele fazer uma verdadeira declaração de amor ao Santa Cruz após um jogo realizado na sexta-feira. A uma rádio local ele se declarou torcedor do Galo e disse com todas as letras que ao primeiro convite lá estaria com prazer comandando o time local. Ora, quem diz isso na sexta à noite pode perfeitamente aceitar uma outra proposta no sábado à noite. E foi isso que aconteceu. Quando retornou a Bento Gonçalves na segunda o quase ex-treinador já estava de malas prontas. E, com todo respeito Seu Gilmar, já vai tarde. Não conheço nenhum torcedor alviazul que vá sentir a sua falta. Sua retranca bem sucedida até deu certo por aqui, mas os resultados poderiam ser tão duradouros quanto o seu respeito pela direção do Clube Esportivo e uma comunidade inteira que por ele torce, ou seja, semana que vem a campanha desamoronaria e a máscara cairia como caiu a sua. Me perdoem os leitores mais educados, mais comportados e mais coerentes, mas na minha terra isso é mau-caratismo, desvio de conduta, falta de caráter mesmo. Deixar na mão as pessoas que confiaram a ele o início de uma nova caminhada, de uma retomada, isso é coisa de quem não tem caráter. E pior, na apresentação lá no Vale dos Sinos ele disse que optou por Novo Hamburgo porque lá existe um projeto que aqui não há. Com todo respeito, Senhor Gimar Iser, o senhor faltou a mais importante das reuniões com o Presidente do Esportivo, aquela onde ele e seus diretores deixaram claro que começavam ali, no mesmo dia em que tomavam posse e o anunciavam como treinador para a temporada seguinte, que havia sim um planejamento. Um plano de ser grande no cenário nacional com a casa em ordem, sem dívidas, com os pés no chão, mas com um objetivo traçado. Quem bom, Seu Gilmar, que o senhor optou por sair, pois o Esportivo é maior que sua passagem até certo ponto exitosa por aqui, porque este clube merece coisa melhor. Uma pena que em sua próxima passagem por Bento Gonçalves o senhor não seja parado pelos torcedores para receber seu carinho e elogios. Aliás, acho melhor ficar bastante tempo aí por Novo Hamburgo mesmo.

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Mais uma de corredor

Da série "coisas que a gente houve no corredor", surgiu mais uma no sábado de manhã, se não estou enganado. Imagine você entrar numa sala "dominada" por mulheres em plena discussão sobre CIÚME. E vejam o nível da coisa, cheguei usar letras maiúsculas para destacar o tema, tamanho interesse que costumar despertar. Entre os comentários que ouvi acredito que mereça destaque especial o sentir ciúme do(a) ex. Talvez este seja o mais comum dos acessos (de raiva as vezes). Dar de cara com o ex ou a ex do outro. Além de um certo constrangimento que isso causa na maioria das vezes, normalmente a situação gera uma série de comentários do tipo: "eu vi como você olhou pra ela" ou "pelo jeito que ele te olhou, ainda tá a fim". Por mais normal que esse tipo de reação possa parecer, sempre tem alguém que volta pra casa p... da vida. No dia seguinte as coisas voltam ao normal (ou não, depende da capacidade de cada um lidar com isso). Muitas relações até terminam por conta do ciúme, que de tão radical acaba desgastando uma relação. Mesmo não havendo nada de errado, não só em relação aos "ex", mas em relação a alguém que se encontra no bar, que deixa um recado no orkut, num blog ou algo cotidiano assim, o ciúme acima da média acaba com relacionamentos num piscar de olhos. Obviamente que quando se está com alguém se quer exclusividade, atenção, cumplicidade, honestidade e, claro, fidelidade. Não se pode , no entanto, ficar vendo coisas, criando coisas que possam estragar relacionamentos. Existem pessoas que são mais ou menos vulneráveis a crises de ciúme, existem até os que dizem que não estão nem aí, mas, convenhamos, ninguém tem imunidade. Nem o Super-Homem é imune a tudo, por que o ser humano comum,e vulnerável que só, precisa ser de ferro. Ciúme: todo mundo teve, tem ou ter um dia. Tomara que se esse mal rondar sua reação ele seja em uma dose homeopática e que não estrague aquilo que você pode ter levado muito tempo pra construir. Vou ficando por aqui, mas sei que este assunto ainda vai dar muito pano pra manga. Que venham as opiniões!!! O debate está aberto...

Meio devagar...

Tô meio devagar, apesar de estar participando das folias noturnas de carnaval, mas quem não tá né? Domingo de cara feia, sem futebol, excelente pra recarregar as baterias pra encarar mais uma semana de correria e muito trabalho. Como a fome já tá na área e o cheirinho da carne assada tá pegando não vou me deter muito nesta postagem (mais tarde eu dou um jeito de voltar e falar sobre um assunto deveras interessante: CIÚME). A passagem por aqui é só mesmo pra registrar o empate entre Grêmio e Caxias ontem à tarde no Centenário. O tricolor teve tudo pra matar o jogo, mas lhe faltou competência. O Caxias fez pro gasto e jánão tem aquele mesmo fôlego das rodadas iniciais. Bom para o Esportivo, que se beneficiou do empate pra ficar isolado na ponta do grupo considerado "mais encardido". Semana de muitas expectativa pela confirmação da liderança com uma bela vitória sobre o Santa Cruz, com casa cheia na Montanha. Ah, não deixem de dar uma lida nos comentários mais recentes. Parece que tá surgindo uma acalorada discussão sobre "mulheres falando sobre futebol". O bicho vai pegar.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

No carnaval eu tô aqui!

Quem achava que durante o período momesco eu ficaria afastado se enganou. Mesmo em tempos de carnaval vou estar por aqui, atualizando, escrevendo e convocando os visitantes para a discussão. Aliás, aí está uma coisa boa, a cada tópico surge um comentário, que leva a outro e assim por diante. É o exemplo do tópico abaixo, que fala da liderança do Tivão. A Tânia passou por lá e disse que ia esperar a rodada do final de semana para opinar sobre a situação. Em seguida já pintou gente nova na área (o Paulofive) prometendo ficar de olho no comentário da moça. Na verdade estamos todos ansiosos para ver sua avaliação, Tânia. Que pressão!!!! Mas enquanto ela não opina, vou complementar o tópico anterior colocando os blognautas a par da rodada de hoje pelo grupo 1, o do Esportivo, e lembrando da infeliz declaração do técnico Armando Desessards - o homem que afundou o Esportivo na Série C em 2007 -. Para quem não leu, em entrevista ao Jornal Gazeta do Sul lá de Santa Cruz, Desessards tentou justificar os resultados ruins de sua equipe dizendo que o Esportivo só estava no topo da tabela porque ainda não havia cruzado com Grêmio e Caxias. Ele argumenta que estes são jogos onde se pode perder pontos, afirmando que o alviazul manteve a base do ano passado (???) e complementando com esta frase de impacto: "No final do turno, poderemos avaliar melhor". Pois é, depois dessa infeliza declaração ele deve estar se perguntando por que o seu poderoso Santa Cruz não bateu a Ulbra, uma das equipes derrotadas pelo Esportivo. Lenha na fogueira para o jogo do dia 10, um confronto direto entre o time de Bento e a filial comandada pelo Armando. Claro que contra Grêmio e Caxias "o furo é mais embaixo", mas vamos combinar né Desessards, cuida do Santa Cruz que aqui já tem quem tome conta do alviazul. Sua oportunidade de mostrar serviço por aqui passou e o saldo não foi positivo pra ninguém.