A Casa da Música Boa - Clique e Ouça!

quarta-feira, 30 de abril de 2008

De olho na Liga

Retorno ao assunto futsal de Santiago porque sei que ainda alguns seguidores dos meus tempos de esporte na "boa terra". Para minha felicidade, dia desses entrei no site da Federação Gaúcha de Futsal e me deparei com o Santiago Futsal na liderança da Série. Tudo bem, o time jogou mais que seus adversários, mas no quesito aproveitamento a equipe de Santiago vai muito bem obrigado. São 9 pontos em 15, excelente média para um time em formação. A competição começou há pouco, mas um bom começo é tudo, pois uma boa chegada é característica do futsal santiguense. Na tabela de artilheiros, lá no alto está o nome do velho e bom Glébio (que nós conhecemos mesmo como Mosquito). Até o Emerson "Tucano" tá fazendo gol. Bom, mas vamos ao que interessa. A idéia passada lá no alto é de disputa da Liga Nacional. Claro que o futsal de Santiago não tem esta condição ainda e nem sei se um dia terá. Quem sabe alguma Copa entre estados, até aí a base suporta né? Quando falo em Liga Nacional me refiro ao Sandro Colvero. Dia desses eu comentava com a Ieda, numa dessas pausas rápidas para o chimarrão, que num futuro bem próximo vamos ver o nome do Professor ligado a algum grande clube do estado, ou até de fora dele, disputando a principal competição do país. Atlântico, Horizontina, por exemplo, seriam boas opções para começo de trabalho. A própria AFF, que ano passado tentou e não levou, poderia trazê-lo. Não que outras equipes não possam fazê-lo, mas estes clubes, considerados médio-grandes têm uma tendência maior a olhar para o interior. Só não coloco nesse grupo a Ulbra e a ACBF porque elas têm PC e Jarico, que ainda estão num nível mais elevado pelo nome que construíram. Da nova geração Sandro é, sem dúvida, um dos expoentes. Inteligente e estudioso, Colvero herdou do pai o "gosto pela coisa". A prática ele está aprendendo com um trabalho digno de elogios. Tá certo que sou meio suspeito, pois sempre fui fã declarado do trabalho do cara, mas sempre é bom receber elogios - e espero que o Sandro os receba -. Se não receber também não tem problema porque ele sabe da minha admiração. O que quero deixar claro neste post é que, mesmo à distância, mantenho minhas convicções sobre seu trabalho e ainda acho espaço para acrescentar algumas coisas.

terça-feira, 29 de abril de 2008

Pra curtir e refletir

Da série "mensagens legais pra curtir e refletir" aqui vai uma que encontrei por acaso e que gerou até uma certa desavença entre internautas no You Tube. Quem postou o vídeo diz que a mensagem (show) é de Shakespeare, mas há quem conteste. Sinceramente, nem quero entrar no mérito da questão. O que vale mesmo é a mensagem contida nas legendas e a música (que também não sei quem canta). Ouça, leia e tire um tempinho pra pensar no que diz. Faça esse esforço e deixe de lado a correria do dia-a-dia. Isso vai te fazer muito bem, com toda certeza. Bom início de feriadão a quem vai poder fazê-lo.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Faça valer à pena

O texto a seguir é uma espécie de OD ao aproveite a vida. A melodia do Rub é fantástica (incrível, talvez) e merece ser cantarolada ao mesmo tempo que usada para refletir um pouco sobre a vida, sobre as coisas que movimentam seu dia, sobre decisões que precisem ser tomadas. Tire você mesmo suas conclusões, mas não esqueça, por mais complicado que as coisas possam parecer... faça valer à pena! Boa leitura, boa audição, boa noite e boa sorte...

"Durma quando o sono bater
Acorde quando Deus quiser
Assista menos TV
Cante no Chuveiro
escreva um livro
faça um filme
e se apaixone todo dia por você.

Pare tudo ao entardecer
Não importa o que tiver pra fazer
Veja o Sol se pondo no mar.
Ria sem motivo
pinte um quadro
veja desenho animado
e se apaixone de verdade por alguém.

Faça tudo valer a pena
a vida é tão imensa e ao mesmo tempo é tão pequena
Faça tudo valer a pena
Dizer eu te amo não devia ser um problema."


domingo, 27 de abril de 2008

Faltou ambição?

Assisti Juventude x Inter (de ouvido colado na Viva News, claro) e confesso que até agora ainda não tenho opinião formada sobre a postura colorada em campo. Cansaço não. Falta de qualidade individual e coletiva, também não. Falta de atitude e ambição, talvez. Acredito que essa possa ser a definição melhor, pelo menos até este momento. O Inter do segundo tempo foi de doer. Além da pressão natural imposta pelo Juventude, que sabia o quanto seria difícil o jogo de volta no Beira-Rio, o time de Abel Braga estava preguiçoso, desligado, sem pretensão e o pior, sem ambição. O 0x0 no Jaconi já era comemorado como goleada quando o Maicon anotou o gol do alviverde, praticamente aos 48 minutos. Não seria louco de dizer que o Juventude tem uma vantagem irreversível, nunca. A vantagem de um gol, no entanto, ganha reforço com a pressão extra que vai cair sobre a cabeça dos colorados durante a semana, coisa que não ocorreu no jogo de hoje. Por essas e outras que o futebol tem encantos que a imensa maioria dos outros esportes não possuem. Domingo que vem tem mais. Aliás, domingo tem o tira-teima. Será que vai dar "touca" de novo?

Foto: Ricardo Wolffenbüttel

sábado, 26 de abril de 2008

Findi chuvoso...

O fim de semana começou (e deve terminar) nublado, com chuva, modorrento - como costuma dizer o Jacintho Junior -. Bom pra quê? Dvdzinho básico (pode ser filme ou aquela série que você gosta e precisa colocar os espisódios em dia), um bom vinho (optei pelo branco dessa vez), um bela soneca depois do almoço (no sábado e no dimingo, claro) e, dependendo da queda da temperatura, aquela cobertinha básica pra ficar bem aquecido. Isso sem contar que estar bem acompanhado é básico. Por falar nisso, lembrei que fazi um tempo que queria postar a letra de uma música que acho 10. Na verdade não é letra exatamente, mas a tradução. Quem nunca ouviu falar de BUBLLY, da Colbie Caillat? Se nunca ouviu falar, nem ouviu a música, esta é a oportunidade. O clip tá aí e a tradução também. Quem nunca sentiu "um arrepio num lugar bobo" levanta a mão...

Eu estou acordada por um momento agora
Você fez com que eu me sentisse como uma criança
agora
Porque toda vez que eu vejo seu rosto animado
Eu sinto um arrepio num lugar bobo

(Refrão)
Começa na ponta dos meus pés
Me faz enrugar o nariz
Para onde for, eu sempre sei
Que você me faz sorrir
Por favor, fique por um instante agora
Não tenha pressa
Em qualquer lugar que você vá

A chuva está caindo no vidro da minha janela
Mas nós estamos nos escondendo em um lugar mais seguro
Debaixo das cobertas, estando seguros e aquecidos
Você me dá sentimentos que eu adoro

(Refrão)

O que eu vou dizer?
Quando você faz com que eu me sinta desse jeito
Eu apenas...

(Refrão)

Eu adormeci por um momento agora
Você me cobriu como uma criança agora
Porque toda vez que você me envolve em seus braços
Eu me sinto confortável o bastante para sentir o seu
calor

Começa na minha alma
E eu perco todo o controle
Quando você beija o meu nariz
O sentimento aparece
Porque você me faz sorrir
Baby, não se apresse
Enquanto você me abraça forte

Em qualquer lugar, em qualquer lugar, em qualquer
lugar que você vá...
Em qualquer lugar, em qualquer lugar, em qualquer
lugar que você vá...
Porque você me faz sorrir
E só por um momento...


sexta-feira, 25 de abril de 2008

Passando por aqui dei uma olhada na última postagem: 21 de abril. Que feio né? Bom, mas isso é passado. O findi tá aí e a promessa é de altas postagens... Por hoje vou me limitar a publicar o material que está nas páginas do Jornal Serra Nossa desta sexta. Bom começo de final de semana a todos e até daqui a pouco... Abaixo então, a coluna "Na Geral".

A FORÇA QUE VEM DO BANCO
Como eu costumo dizer, o assunto principal esta semana faz bem o estilo “chover no molhado”. O Gauchão termina em pouco mais de uma semana e os exemplos que ficam devem servir pelo menos de referência, em especial para o Esportivo. Não pretendo entrar nos pormenores, apenas tratar pela última vez de um assunto delicado e, portanto, merece um enfoque igualmente sutil. Até que ponto a força que vem do banco, neste caso específico o treinador, pode mudar a história de um jogo ou até mesmo de um campeonato, especialmente uma competição cheia de particularidades como o Gauchão.

EXPERIÊNCIA, INVESTIMENTO, OUSADIA...
Voltar ao caso do Esportivo é necessário, claro, pois tenho plena certeza de que um comandante experiente poderia ter feito a diferença na parte mais importante do campeonato gaúcho. Não quero aqui voltar a questionar virtudes e defeitos do Cristian de Souza, muito menos discutir se ele irá se tornar ou não um grande treinador no futuro. O fato é que a direção do Esportivo acertou em cheio ao contratar Gilmar Iser para montar a equipe e comandá-la na competição mais importante do estado. O escolhido pela diretoria alviazul certamente daria a resposta esperada – vinha dando tal resposta até deixar o clube e manteve o bom trabalho do quase rebaixado Novo Hamburgo. Aí está o ponto chave. Quando tentou treinadores com mais experiência, faltou ousadia à direção. Não digo que Espinosa seria o ideal, mas esse era o momento de investir pensando no retorno que poderia vir com a classificação. Foi feito um investimento, é verdade, em um jovem treinador que já estava no clube. Treinador errado na hora errada. mas esse era o momento de investir pensando no retorno que poderia vir com a classificaçscutir se ele irte mais importante do

EXEMPLOS?
Para os que acham que estou delirando, vou citar dois exemplos que a toda hora utilizo. Paulo Porto, no Inter de Santa Maria, e Zetti no Juventude. São situações diferentes, isso é uma outra verdade, mas servem de exemplo sim. O Inter veio da Segundona e o que fez? Investiu em um treinador de comprovada qualidade em todas as equipes que treinou. Paulo Porto comandou um time médio e o levou com méritos ao terceiro lugar do “Ruralito”. Escolher certo e manter a escolha é tão importante quanto escolher errado e admitir o erro, reparando-o antes que seja tarde. O Esportivo não o fez. Ao contrário do Juventude. Mesmo classificado o time de Caxias dispensou seu treinador e trouxe alguém acostumado a decisões. Não como treinador ainda, mas como jogador. Zetti valeu o investimento e recuperou a auto-estima de um grupo desacreditado, levando-a a final. Ousadia que gerou dividendos em semanas. Voltando ao Esportivo, a seqüência de resultados negativos diante de Grêmio e Caxias foi encarada como “natural” e as mudanças não vieram. A auto-estima abalada seguiu e o time seguiu vencendo candidatos ao rebaixamento e perdendo pontos para adversários diretos. O resultado todos conhecemos e, convenhamos, é bem indigesto.

OLHAR PRA FRENTE
A volta no tempo de hoje não é falta de assunto. Pelo contrário. A intenção é voltar nele para refrescar a memória de quem já esqueceu a desclassificação e acha que tudo não passou de uma peça pregada pelo destino. Os exemplos estão aí para serem seguidos. Claro que eu sei: cada caso é um caso, mas é melhor prevenir do que remediar. Por que cometer os mesmos erros se pode-se evitá-los?

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Pensando no futuro

Há tempos que não abria espaço aqui para falar do futsal de Santiago, principalmente porque estou acompanhando bem de longe o que acontece por lá. Na última passagem pela "terrinha" soube do Felipão que a equipe montada para a disputa do Estadual Série Ouro era muito jovem e renovada. Os resultados recentes, como a vitória em Tapejara no sábado, mostram que o Sandro já está conseguindo acertar o time. As derrotas para Três Coroas e Ulbra devem ter servido pra corrigir os erros e acertar o foco no trabalho, coisa que o Professor Colvero sabe fazer com muita competência. Não sei o que vai ser da equipe no restante do estadual, mas tenho certeza que a inteligente diretoria não está com o foco simplesmente voltado para 2008. Com um time jovem, cheio de bons talentos e um treinador que tem como principal mérito "acertar equipes", o futsal de Santiago entra de novo no caminho da renovação que para muitos já não tinha volta. Prometo que vou acompanhar o time mais de perto daqui pra frente e dar o espaço merecido neste blog ao time que aprendi a torcer. Aqui fica também o registro de como é difícil encontrar notícias do esporte santiaguense. O futsal ainda tem o eterno Blog do Franqui, mas de resto não faço idéia de como vão as coisas lá pros lados do Boqueirão. De qualquer forma sigo na torcida.

domingo, 20 de abril de 2008

A "touca" vai pegar de novo?

É inevitável. Quando o Juventude fez 3x1 e praticamente liquidou a fatura em Santa Maria todos já se perguntavam: será que a "touca" vai pegar de novo? Claro que estou falando do confronto do time de Caxias contra o Inter. Não teria como ser diferente. O assunto da semana vai ser esse, ainda que o Inter tenha um confronto complicado pela Copa do Brasil no meio de semana. As duas derrotas sofridas pelo Gauchão deste ano - as únicas do colorado na competição - foram para o Juventude, uma delas um sonoro 3x0 em Caxias. Eis aí a chance que os colorados pediram a Deus para mudar a escrita. Vencer o Juventude e se livrar da "touca" pode tirar um peso imenso das costas dos vermelhos. Por outro lado, a pressão para reverter o quadro historicamente desfavorável pode se tornar o principal adversário do Inter. A única vez que os dois se encontraram em decisão de Gauchão deu Ju. Tudo joga contra o time da capital, além da fase que vive o time de Caxias, que se supera a cada partida. Como no futebol tudo pode acontecer, resta apenas aguardar as próximas duas semanas e ver se a escrita se mantém ou se o Inter sepulta de vez a tal da "touca".

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Falta de habilidade

Finalmente o caso do doping no jogo Grêmio x Esportivo chegou ao fim. O atacante Tadeu foi o "sortudo". Tudo isso porque teria tomado um relaxante muscular que segundo os médicos é permitido pelo comitê de dopagem. Todo o circo armado na imprensa e patrocinado pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF) deu em quase nada. O resultado dos exames nem seria considerado doping, apenas "atípico". Meu Deus! Toda essa barulheira pra depois o diretor médico da Federação dizer que isso é "normal". Palhaçada! E os outros jogadores envolvidos? E o Juliano, zagueiro do Esportivo, que tomou uma aspirina na noite anterior e - perdoem o trocadilho - arranjou a maior dor de cabeça da sua vida? Imaginem o que foi a semana desses atletas!? E tudo por conta da irresponsabilidade do Sr. Francisco Noveletto e seus comandados. Esse tipo de situação pode muito bem ser administrada de outra forma. Em sigilo, sem exposições desnecessárias, entre Federação, clube e jogador. Mais uma prova de que alguns conceitos (aliás, muitos) devem ser revistos em relação à entidade máxima do futebol gaúcho. Não vou entrar em detalhes hoje porque este tópico é só pra criticar essas atitude, mas prometo que volto ao assunto em breve. Copiar o falido Campeonato Carioca, por exemplo, é um assunto que merece destaque e uma bela "crítica destrutiva". Por fim, se o Roger acha que a imprensa exagerou e causou danos à sua moral, que processe a FGF por ter deixado isso se alastrar, mesmo sabendo do resultado. E não venham me dizer que não se sabia, porque nisso eu não acredito. Uma tremenda falta de habilidade, justo da entidade que rege o futebol.

Foto: Jefferson Botega

quarta-feira, 16 de abril de 2008

O choro é válido

A história dos 5 mil acessos mal começou e já deu o que falar, como deu pra perceber no comentário abaixo. A visitante número 4000 já está reivindicando seu prêmio pelo "acesso histórico". Com certa razão, claro, afinal uma visita dessas tem a sua importância. Acontece que normalmente se dá mais ênfase a números redondos como 5 mil, 10 mil, 15 mil... E isso que nem defini qual será o prêmio. Vamos combinar o seguinte então. Caso a visita número 5000 seja feita pela mesma pessoa que esteve aqui no 4000, tem prêmio em dobro. Como eu disse, não que um visitante tenha menos importância que o outro, mas é que normalmente se promove mais os números cheios como o 5000. Pra quem está de olho nos números, os acessos 10 mil, 15 mil, 20 mil e assim por diante sempre vão trazer consigo uma surpresinha. Mas não vamos confundir as coisas, a prioridade ainda é o conteúdo postado. Vou tentar caprichar pra manter o conteúdo atualizado e atraente. Amanhã eu volto...

segunda-feira, 14 de abril de 2008

O desafio dos 5000

Tá! Tá certo que ainda andamos longe, mas tô iniciando hoje a campanha dos 5000 acessos. Quando cheguei a 4000 deixei o recado pra quem chegasse primeiro postar algo. A Tânia, lá de Flores, pintou na área primeiro e inclusive fez um "print screen" pra comprovar a proeza. O desafio agora é chegar a 5000 visitantes (hoje faltariam pouco mais de 800 visitas, coisa que nos bons tempos - quando eu postava todo dia chegou a rolar num mês). Quem me acompanha de mais tempo lembra que quando tinha um blog só de esporte em Santiago passei dos 18 mil acessos antes de aposentá-lo logo após minha vinda pra Bento. Chegar a 5, 10, 12 mil não tem nada demais. Não vai reforçar meu currículo ou me tornar mais importante, mas o desafio de chegar lá é um atrativo a mais pra quem passa por aqui diariamente, semanalmente ou até mensalmente. Vamos fazer o seguinte: o visitante 5000 vai ganhar um presente deste blogueiro. Que presente? Isso eu divulgo nas próximas postagens. Por enquanto só posso dizer que vai rolar um presente. Beleza!? Espero vocês por aqui e seus comentários também. Ah, a enquete que rolava no começo também vai voltar. FUI!!!

domingo, 13 de abril de 2008

A revista Entertainment Weekly fez uma lista com os “20 piores filmes de todos os tempos baseados em quadrinhos”. Entre os presentes da lista estão “Mulher-Gato”, estrelado pela ganhadora do Oscar Halle Berry (“Coisas que Perdemos pelo Caminho”), “Batman e Robin” de 1997, e “A Liga Extraordinária” que, mesmo baseado em um aclamado gibi e tendo em seu elenco Sir Sean Connery (“Armadilha”), não conseguiu emplacar no gosto do público e da crítica.Um nome freqüente na lista é o do cineasta Mark Steven Johnson, sendo vinculado a três produções. Johnson escreveu e dirigiu “Motoqueiro Fantasma”, estrelado por Nicolas Cage (“Despedida em Las Vegas”) e “Demolidor – Homem Sem Medo”, com Ben Affleck (“A Última Cartada”). Em “Elektra”, com Jennifer Garner (“Juno”), o jovem diretor ficou encarregado da produção. O filme da heroína foi um dos maiores micos de Hollywood em 2005.

Este texto não é meu, nem vou opinar porque não assisti a todos os filmes. Mas que a revista não errou tão feio...


A lista está aí. Confira e deixe sua opinião:

"Motoqueiro Fantasma" (2007) ; "O Sombra" (1994) ; "Barb Wire" (1996) ; "Mulher-Gato" (2004) ; "Brenda Starr" (1992) ; "O Fantasma" (1996) ; "Demolidor" (2003) ; "Elektra" (2005) ; "Tank Girl" (1995) ; "Quarteto Fantástico" (2005) ; "Sheena" (1984) ; "O Justiceiro" (2004) ; "Supergirl" (1984) ; "Barbarella" (1968) ; "Howard: O super-herói" (1986) ; "Steel - o homem de aço" (1997) ; "Monstro do Pântano" (1982) ; "Batman e Robin" (1997) ; "A Liga extraordinária" (2003) ; "Superman IV" (1987) ; "Judge Dredd" (1995).

Fonte: Blog do Teacher

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Tragédia anunciada?

Ontem à tarde o Grêmio sucumbiu diante do Juventude. Pode alguém dizer que foi uma surpresa e tanto. Seria, não fosse o Grêmio comandado por Celso Roth. Técnico que não conseguiu nada demais até agora na carreira além da fama de retranqueiro, mal-humorado e com "prazo de validade" curto. O que o torcedor do Grêmio talvez não esperasse é que a validade de Roth desta vez fosse tão curta. Um sábio filósofo da bola certa feita profetizou que futebol deve ser feito com simplicidade, feijão com arroz mesmo. Roth foi tentar inventar e reinventar até. Quando todos já haviam descoberto que Nunes não é jogador de futebol, lá foi o Roth reinventá-lo como volante. Inventou Paulo Sérgio como lateral esquerda quando o cara mal sabe usar a perna direita e ainda tenta reinvinta Roger como "cérebro da equipe". Tinha que dar nisso. Pior de tudo é que a culpa não é exclusivamente do treinador. A parcela maior desse momento complicado se deve aos equívocos da direção. Equívoco do Pelaipe ao montar o time com contratações baratas e do Presidente Odone ao "criar" e reinventar todos os dias o projeto mais mal elaborado de treinador que o tricolor já viu. Depois, quando as piores coisas acontecem quem sofrem de verdade é o torcedor. Vejam que situação, de invicto na temporada o Grêmio pode iniciar a quinta-feira com o semestre arruinado. Seria um fiasco e tanto. E quem vai assumir a culpa? Sobrará pro Roth, claro. Mas os problemas estarão resolvidos assim?

domingo, 6 de abril de 2008

O fato do dia

Foto: IEDA BELTRÃO

Ontem acabei não postando nada porque o dia foi realmente agitado. Não estive participando diretamente da tentativa de assalto frustrada que terminou em sequestro no Cidade Alta, mas a Ieda esteve lá e o colega Jacintho Junior também. Acompanhei toda a situação narrada pelo amigo e colega de Viva News e depois ainda tive detalhes revelados pela Ieda que fez fotos como esta a metros da fruteira onde tudo aconteceu. Agora é fato, não falta mais nada para Bento Gonçalves entrar para o hall das cidades violentas e inseguras desse Brasil. Não que aqui fosse um paraíso, mas estava longe de ser um Rio de Janeiro (e felizmente continua longe disso), mas as coisas estavam quase - e vejam bem, eu disse quase - sob controle. Em menos de 24 horas o Vale dos Vinhedos e o centro da cidade voltaram a ser "badalados" pelos piores motivos possíveis, a violência e a bandidagem que vêm predominando em nosso país há tempos. Quando um líder da Brigada diz que após efetuada a prisão de marginais procurados é preciso que eles permaneçam na cadeia, é sinal de que as autoridades competentes para tanto não estão fazendo seu papel. Eu iria mais longe, diria que os comandantes de nosso país estão brincando com a vida dos brasileiros quando não promovem, com urgência, mudanças nas leis. Mudanças que façam com que osa bandidos apodreçam na cadeia. E não venham me dizer que há reabilitação. Há sim, para quem roubou um galinha para jantar ou coisa assim. Para marginais que não estão nem aí para a vida alheia e que só cometem crimes pra se sentirem mais fortes ou ter mais dinheiro para gastar não existe volta. Amanhã ou depois aquele quarteto que colocou em risco a vida de uma dezena de pessoas estará de novo nas ruas, preocupando pessoas e colocando suas vidas em risco. ALÔ AUTORIDADES DO BRASIL!!!!! ACORDEM!!!!! Vamos dar a estes "fdp" o que eles merecem. Me perdoem pelo desabafo, pela falta de educação até, mas não dá mais pra conviver com isso. A hora é agora. E não digo isso por que este fato ocorreu na cidade em que vivo. Digo isso porque estou cansado de ver coisas ruins todos os dias no rádio, na tv, no jornal, na internet, e perceber que ninguém faz nada - nada mesmo - pra acabar com essa porcaria toda ou pelo menos torná-la mais amena. Que se faça valer a justiça e que as pessoas possam viver suas vidas despreocupadas e sem temer pelo pior o tempo todo. Boa semana a todos e que Deus nos abençoe!

Cenas de tensão como essa poderiam pelo menos ser minimizadas não fosse o descaso de nossos comandantes.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

A "uruca" do centenário

Hoje eu conversava com o Tonho Croco, da Ultramen, antes de entrarmos no ar pelo Viva News, quando começou o buzinaço colorado em Bento, comemorando os 99 anos do Internacional. Gremista que é o Tonho lascou: "Eles que não comemorem o centenário. O Grêmio só se deu mal depois do centenário". É verdade que a grande festa colorada só acontece em 2009, mas a uruca dos 100 anos parece que bateu na porta com bastante antecedência. Uma crise de hepatite, jogador com cálculo renal e no último treino antes do jogo que deve levar o time às semifinais do Gauchão o Clemer dá de cara com o Marcão e se arrebenta. Credo! Uma uruca e tanto. A sorte dos colorados é que o momento é exremamente light. Sem a pressão normal de uma decisão (fez 4x1 na Ulbra em Canoas e já está classificado) o Inter pode se dar ao luxo de ir com o 3º goleiro e com um bando de reservas e não deve nem perder o jogo. Um motivo a mais para comemorar. E por falar em comemorar, tenho que aproveitar o espaço para cumprimentar os blognautas colorados. Não é todo dia que o clube do coração chega nessa idade com uma saúde de ferro, conquistando grandes títulos e dando alegrias ao seu torcedor. Claro que se o time não conquistar o Gauchão já vai ter choro, mas isso faz parte. O importante na trajetória recente do Inter é que o clube tem um planejamento que começou nos tempos do Fernando Carvalho, que tem rendido frutos e ainda deve render muitos mais. Mas, o mais importante nessa história todo, e falo como cronista esportivo, é que o colorado é gaúcho e que ao se manter no topo ele mantém o Rio Grande do Sul no topo, mantendo a tradição do futebol competitivo que aqui se joga, sem os mesmos recursos dos grandes de São Paulo e Rio. Parabéns colorados e boa sorte, que a "uruca" dos 99 não se repita nos 100...

terça-feira, 1 de abril de 2008

Os retornos

Em tempos de "revival" algumas coisas chamaram minha atenção recentemente. A maioria dos retornos, normalmente envolvendo bandas famosas, só tem a ver com o bolso da galera. A imensa maioria só volta pra queimar o filme mesmo. Mas, vai lá, algum destes retornos aí tem que valer à pena. O The Doors, por exemplo. Grande sacada, não fosse pelo fato de que o integrante mais importante e referência já morreu há algumas décadas. No ramo mais pop temos o fenômemo britânico (eu escrevi fenômemo mesmo!?) Spice Gilrs. Que que é isso, de Doors a Spice Girls num piscar de olhos? Inacreditável! A verdade é que as comparações são permitidas nestes casos, afinal de contas todos querem mesmo é "rosetar", neste caso, encher os bolsos de verdinhas. No Brasil a grande surpresa fica para a iniciativa da ex-cantora, ex-apresentadora, ex-musa, ex-tudo, Simoni. Não é que ela se atreve a dizer que pretende gravar um disco com os clássicos do Balão Mágico. A intenção é boa, claro, comemorar os 25 anos do grupo que embalou a infância de muita gente (a minha, inclusive) e, óbvio, dar uma graninha pra falidérrima "mãe de vários filhos". De algum lugar precisa vir o sustento das crianças, não? Mas, sinceramente, sabem qual foi a pior de todas as voltas na minha modesta opinião? O New Kids on the Block. Isso mesmo, os "Menudos Americanos" pretendem voltar. Um fenômeno de tudo no final dos anos 80 o grupo está com a média de idade bem avançada pra cantar "Step by Step" e se sacolegar no palco. Vai ter gente pedindo tubo de oxigênio durante o show e saindo do palco de ambulância... Tudo pela maldita (ou seria bendita?) graninha extra pra garantir um final de vida digno.