A Casa da Música Boa - Clique e Ouça!

sábado, 31 de janeiro de 2009

A volta!

De tempos em tempos isso acontece, e sempre tem alguém pra me puxar a orelha... Claro que tô falando da minha ausência nos últimos 2, quase 3 dias. Vou tentar justificar, só por desencargo de consciência. Na quinta-feira à noite eu fui assistir ao filme "Crepúsculo", que é o grande "boom" do momento e mostra uma história de vampiros diferente da esmagadora maioria de filmes do gênero. Não li o livro ainda (que faz parte de uma série escrita por uma dona de casa chamada Stephenie Meyer), mas confesso que depois do filme tive o interesse despertado ainda mais. Digo ainda mais porque há muito esta é a leitura preferida da Ieda, inclusive o toque de celular é uma música que faz parte da trilha do filme (Decode, do Paramore). Aliás, falo mais sobre isso em um outro post. Ontem, bom, ontem foi um dia daqueles que se fosse mais corrido ultrapassaria a velocidade da luz ou, no mínimo, chegaria muito próximo. Cheguei em casa e convidei a Ieda pra um chopinho e aquele bife acebolado da Cia do Bauru, que, claro, vem acompanhado das fofocas do Marcelão (proprietário), que sabe tudo da vida de todo mundo e adora tirar um sarro com a nossa galera. Um canalha ele! Cabe explicar que este canalha é um forma "carinhosa" como tratamos alguns amigos mais chegados e que sejam merecedores deste "carinho" por algum motivo não publicável aqui (pelo menos não até eu me resolver e jogar toda a lama no ventilador...hehehe). Hoje estive na labuta (mesmo sendo meu dia de folga), inclusive voltando aos bons tempos e atuando como repórter de campo no "xoxo" 0x0 do Clássico da Polenta, entre Esportivo e Caxias. Um comentário necessário nesse caso: o Esportivo deu um banho e merecia melhor resultado. Paciência. Quarta-feira a vitória vem. Agora, pontualmente 20h21min, vou concluir a postagem porque estou sozinho em casa (a Ieda foi cobrir o segundo dia de Fenavinho) e vou degustar - bem na manha - uma garrafinha de vinho, afinal de contas, também sou filho de Deus. Ótimo fim de semana a todos e amanhã eu tô de volta.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Quem foi o 15 mil?

Pois é, só no início da noite de hoje que fiquei sabendo quem havia sido o (neste caso, a) visitante número 15 mil. Hoje pela manhã quando cheguei por aqui o marcador já apontava 15.008 acessos e nenhum registro nos comentários. "Será que quem passou por aqui não se deu por conta e gravou"? Uma lástima já que eu havia prometido uma surpresinha a quem registrasse a marca. Pois a Liliana, ouvinte fiel da SP3 e seguidora deste blog há um tempo já, tinha escondido o registro. Por e-mail ela me enviou o print scream feito, que confirma ter sido ela a visitante número 15 mil. A próxima marca a ser batida é chegar aos 20 mil acessos. Não que isso seja o único objetivo do blog, longe disso, mas o novo desafio está aí. Sobre a reclamação da Letícia, que como primeira seguidora deste blog tem direito a um presente prometido na época. Mesmo ela tendo me chamado de "tratante" em comentário no post anterior, o presente ainda lhe pertence e será entregue antes do final desta semana, com o devido registro fotográfico, assim como, assim que a Liliana receber sua surpresa, o registro vai ser publicado aqui também. Obrigado a todos pelas visitas (ontem foram 282) e sejam sempre bem vindos!!! Abaixo está a imagem captada pela Lili e que confirma ter sido ela a visitante número 15 mil, é só clicar em cima se ficar em dúvida.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

ATENÇÃO!!!!

Se você, por acaso, for o visitante número 15 mil, faz um PRINT SCREAM que comprova a visita e deixa um comentário aqui no rodapé desta postagem... VALE UM PRÊMIO SURPRESA!!!

Será que tem repeteco?



Algumas pessoas vão me acusar de "espírito de porco", mas a proximidade da Fenavinho (que será aberta na sexta-feira) traz à tona uma pergunta básica: "Será que o Lasier Martins vai estar na cobertura do evento?". Quem não lembra ou nunca assistiu ao vídeo "gravado" durante o Jornal do Almoço apresentado durante a Festa da Uva? Sim, eu sei que não foi na Fenavinho, mas numa dessas, vai que a cena se repete... Tomara que não, né!? Por esse motivo que publico o vídeo aqui, por não acreditar que cena assim possa se repetir. "Aqui do lado, pederneiras..."

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Deu Inter (de novo) em Santiago

Terminou no sábado mais uma edição da Copa Santiago de Futebol Juvenil, a 21ª da história, e o Inter, pela oitava vez, levou o caneco. Este ano acompanhei muito de longe e não sei exatamente como foi o nível técnico. De qualquer forma a surpreendente campanha do América Mineiro deixou a mim e a muitos outros milhares de amantes do futebol dse queixo caído. No melhor estilo mineiro eles "comeram pelas beiradas", bateram o poderoso Cruzeiro e por pouco não surpeenderam o Inter na decisão. GreNal, muita rivalidade e tantos outros ingredientes que mantêm a Copa viva certamente estiveram presentes, assim como novamente as frustrantes desistências de última hora que acabam prejudicando tecnicamente o evento. Na última hora não há muito a ser feito a não ser convocar clubes sem expressão ou até mesmo seleções reunidas no "apagar das luzes". De novo, mesmo à distância, espero que para a próxima edição esses "atrapalhos" sejam superados. Como fiz questão de dizer desde o início, estou assistindo a tudo de muito longe, mas dar pitaco não mata ninguém né? Quem sabe um Presidente no melhor estilo "patrola", que corre atrás, que "põe a bunda na grama"... Que tal uma solução do tipo Chicão? Quem conhece o cara sabe do que ele é capaz, principalmente sendo ele tão identificado com o "Raposão" - Cruzeiro Esporte Clube -, promotor do evento.

domingo, 25 de janeiro de 2009

A falta que a gente sente quando falta...

O domingo começou diferente. Desde a hora que caí da cama, nada de energia elétrica. Os primeiros indícios da falta vieram do gerador do shopping ligado a todo vapor logo cedo, quando ainda estava "patinando" na cama. Até aí, sem problemas, já que falta de luz no domingo de manhã é comum. O detalhe é que a falta de energia foi se estendendo, se estendendo e se estendeu tanto que só se restabeleceu às 13h15min. Foram cinco horas sem luz e isso, claro, serviu de inspiração pra chegar nesta postagem. Tal inspiração vem do fato de que nessas horas de falta é que a gente realmente se dá por conta da falta que faz quando algo falta (a frase complicada é proposital, tipo um trocadilho mesmo). Trocando em miúdos, quando não temos energia elétrica é que percebemos o quanto a tecnologia é descartável se você não pode usá-la. Inteligente que sou, ontem matei a bateria do notebook e hoje, quando precisei dela por uns minutos, lá estava "arriada" e sem a mínima chance de ser usada. O telefone sem fio também se tornou inútil, já que depende da famigerada energia. E a lasanha que seria preparada no forno elétrico? Santa caixa de fósforo que sobrevivia há meses na gaveta. Graças a ela, acionamos o bom e velho forno do fogão a gás. O sorvete da sobremesa também já está indo embora, derretendo com o calorzinho da manhã desprovida de energia. Se estivéssemos com os celulares descarregados, aí sim estaríamos totalmente incomunicáveis, longe do mundo real. Mas e qual mesmo é o mundo real? O da manivela, da máquina de debulhar milho ou o do laptop, celular que só falta fazer chover e tantas outras tecnologias? A verdade é que nessas horas de "apagão" é que percebemos o quanto coisas básicas fazem falta e que para usufruirmos da alta tecnologia disponível não nos basta tê-las, é preciso de acessórios que vêm lá "do tempo em que se atava cachorro com linguiça" (e linguiça se escrevia com trema!). Assim como a água, a energia elétrica é item essencial para nossa sobrevivência e que a gente só se dá conta da falta que elas fazem quando elas faltam... Mas tem uma vantagem nisso tudo. Pra tomar banho frio nem precisa mudar a posição no chuveiro...

sábado, 24 de janeiro de 2009

Como será no futuro?

Calma gente! Não fiz, nem pretendo fazer nenhuma viagem do tipo "máquina do tempo". O assunto do post surgiu de algo vivido hoje à tarde e que numa conversa posterior me inspirou a escrever aqui. Também não é um daqueles assuntos de relevância e que podem mudar a história da humanidade, fiquem tranquilos. Como hoje foi meu último sábado antes de voltar das férias, resolvemos ir até o Shopping L'América pra conferir a tal promoção de verão e, quem sabe, aplicar uns cobres em coisas boas, o que acabou ocorrendo quando a Ieda resolveu entrar na sua loja favorita, a Hering. Saímos de lá com a sacola cheia e o bolso quase vazio (hehehe), mas ainda sobrou alguma coisa pra ser gasta no mercado (ingredientes pra uns super baguetes, um vinho básico e complementos pra lasanha de amanhã). Aí que entra o assunto de verdade. Na entrada do Nacional pensávamos: "onde ficaria o 'grande-armário-onde-se-guarda-as-sacolas'? Pois logo na entrada um funcionário nos chamou para "lacrar a sacola". O tal lacre nos permitiria passear pelo Super sem nos desfazer da sacola. Além da sensação esquisita e incomum, a sacola fica ruim de carregar, bem incômodo mesmo. Aí que tá!!! Aí entra minha pergunta sobre futuro: Será o fim do "grande-armário-onde-se-guarda-as-sacolas"? Será que as gerações futuras saberão do que se trata? Será que aqueles armários cuja chave você carrega pelos corredor do Super estão prestes a desaparecer? Uma vantagem nisso é certa: não correremos mais o risco de voltar pra casa com a chave no bolso e só então nos dar por conta de que nossas sacolas ficaram lá, no grande armário. Pense nisso! Opine! Faça o teste de girar pelo supermercado com a sacola lacrada...

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Uniforme "novo"?

Nem foi lançado oficialmente e o novo uniforme do Tricolor já está causando polêmica. As imagens das camisetas que devem ser vestidas pelos jogadores do Grêmio na temporada que inclui a disputa de mais uma Libertadores já vazaram na internet e, claro, estão dando o que falar. O uniforme número 1 mantém o tradicional tricolor, porém com algumas mudanças que nem todo mundo vai entender, com certeza. Já o terno reserva (terno é bem antigo, hein!? acho que tô ficando velho) teria sido inspirado numa camiseta utilizada recentemente pela Seleção da Argentina. Tá certo que dizem por aí que o Tricolor tem "alma castelhana", mas será que é pra tanto? Opinem!!! Em tempo, o novo uniforme só deve ser oficializado na semana que vem. Ah, em breve teremos "polêmica vermelha" também ou alguém acredita que o uniforme Colorado para comemorar seu centenário também não vai dar o que falar?

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Acreditem, eu provei o MCFlurry!!!

Quem acompanha o blog diariamente ou pelo menos nas últimas semanas lembra do meu lamento quase dramático por nunca ter provado o MCFlurry (http://blogjuliomartins.blogspot.com/2009/01/qual-o-sabor-do-mcflury.html). Depois de várias tentativas frustradas eu até já havia desistido de provar a tal maravilha de que tanto me falavam. Pois ela, a Ieda - culpada por todas as tentativas frustradas - que apareceu em casa com a surpresa. Vocês devem se perguntar como foi que ela conseguiu trazer pra casa um sorvete? Eu explico. Na terça de tardinha ela passou pelo shopping Bento (que fica no centro da cidade, pra quem é de fora) e decidiu fazer uma nova tentativa. Não é que dessa vez tava tudo certo, tinha os produtos necessários e o MCFlurry completo estava disponível. Ela, claro, não pensou duas vezes e, contando com uma temperatura agradável, chegou em casa com a surpresa em perfeito estado de conservação e degustável. Sinceramente!? Vale a espera... É bom mesmo como já haviam me propagandeado. Mas como bom reclamão que sou, deixo aqui uma questiúncula: vale mesmo à pena enfrentar o mau atendimento e perder a paciência várias vezes antes de degustá-lo. Dessa vez foi saboroso porque não rolou stress, mas e da próxima. E se o martírio por uma nova degustação me deixar mais louco do que certo? Bom, deixa assim, o que vale mesmo é que "perdi a virgindade". Não sou mais o único ser entre outros 100 mil que nunca provou o MCFlurry. Que venham novos desafios! (hehehehe)

Aí está o clique da Ieda que serve de "prova do crime". Tá a fim!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Três dias de três dígitos

Em tempos de campanha por comentários nos blogs, estou muito satisfeito com os números recentes deste humilde blog. O trabalho de entreter as pessoas não é coisa simples, e é isso que fazemos todos os dias. E quando falo "nós", incluo os amigos blogueiros parceiros, que também tentam achar um tempinho na correria pra escrever algo aos exigentes leitores. O Blog do Júlio, que está no ar há pouco mais de um ano, se aproxima de 15 mil acessos e, mais que isso - que já é um feito né? -, nos últimos três dias passaram por aqui mais de 100 pessoas por dia. No momento que coloco esta postagem no ar já são 129 visitas hoje que, somadas às 116 de ontem e às 151 de anti-ontem, são mais de 400 visitas em 72 horas. Não acho que isso vá mudar a história do mundo, mas fico feliz de saber que as poucas linhas publicadas diariamente - e Deus sabe os sacrifícios feitos pra ter pelo menos uma postagem/dia -, fazem as pessoas dar uma pausa nas vidas corridas pra ler. Os números não mudam nada mesmo. Não vou dormir melhor, não ganho dinheiro com isso. O que rola mesmo é a satisfação e também a preocupação com o que vem pela frente. A responsabilidade aumenta, não só com as postagens diárias, mas, principalmente, com a qualidade daquilo que aqui é postado. Ah, já que o assunto são números, com os acessos que devem pintar durante a noite e madrugada, o Blog chega ao seu recorde de acessos em um único mês. Nesse momentos já são 1447 desde o dia 1º contra 1461 de setembro (melhor marca até então). Por todas essas razões eu só tenho a agradecer e pedir, humildemente, que continuem vindo aqui todos os dias, se registrando, comentando ou simplesmente dando uma cruzada incógnita. VALEU!!! VOCÊS SÃO D+!!!

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

O cara é uma figura!


Dia desses, acho que foi semana passada, ouvi uma frase que só poderia ter saído da boca do Gabriel Lain e pensei: "Isso dá um post!". Passado quase uma semana, cá estou pra trazer algumas pérolas do cara e explicar o porquê do título que diz que ele é uma figura. O Lain surgiu em nossas vidas (profundo isso né?) em um desses meses aí de 2008. Contratado para ser o piloto da Unidade Móvel da Viva News ele chegou com pouca experiência de microfone e muita disposição de aprender. No tempo em que ele esteve por lá tivemos muitos motivos pra rir e pra chorar, mas, acredito eu, muito mais motivos pra rir, principalmente quando o cara saía com umas tiradas que faziam a gente parar pra pensar ou pedir uma explicação melhor, de tão esquisitas que elas eram. Nos tempos em que reuníamos uma turma pra tomar café todas as manhãs na Padaria Brasil, a turma que incluía o cumpadi Jota, o Pedrinho e quem mais se habilitasse, recebeu o carinhoso apelido de "gangue do café com leite". Nem preciso dizer quem o criou. Sempre bem humorado, mesmo diante dos "tiroteios" que ocasionalmente surgiam, ele destilava seu veneno sempre que possível. "E viva a polenta!", por exemplo, ele criou pra expressar o quanto gosta das mulheres de Bento, já que alguns afirmam por aí que a polenta é o ingrediente básico para o crescimento incomum do bumbum das bento-gonçalvenses (isso também dá post, né Jota!?). Nessa mesma linha ele sempre diz: "Quando quero ver mulher feia eu vou pra Caxias", afirma o rapaz que mesmo não estando mais na Viva News, continua atuando na imprensa de Bento, agora no Jornal SerraNossa. Um dia desses ele acabou com nosso café. A gente simplesmente não conseguiu parar de rir quando ele soltou uma do "pelé no pe eu na mão". Ninguém entendia aquilo. Primeiro porque a frase era pronunciada de forma rápida e, segundo, porque realmente era novo pra nós. Quando conseguimos respirar novamente e voltar ao café ele explicou que a frase tem a ver com aquele lance do jogo onde um esperto coloca a bolinha embaixo de um pote e fica girando os três até que alguém diga onde está a bola (espero que tenham entendido de que jogo eu falo). Essa supera muitas, mas não é a mais espetacular. No dicionário "lainhês", por exemplo, tem a "bordinha de catupiri", que nada mais é aquela gordurinha localizada um pouco acima da cintura feminina. É, mas pra quem acha que o cara é fraco, tem mais. Quando encontra uma mulher bonita, daquelas que a gente diz: "essa é pra casar!", de novo ele apela pra sua linguagem própria e prática também: "Pra esse eu liberava meu Banricompras", dispara. Tem também a história do "esqueminha", que nem precisa de tradução, e tantas outras que tenho certeza nossos amigos em comum irão acrescentar. Pra fechar então a serie "as boas do Lain", a definição dele para a nova fase do André Tajes, agora em Flores da Cunha: "O Tajes tá lá em Flores, comendo a massinha". Essa eu deixo pra ele explicar em um comentário que sei que fazer por aqui. Grande abraço "Monstro" e boa sorte sempre!

A foto-montagem que ilustra este post é do Jota. Na época a Liliana Cainelli Cambruzzi teve a grande idéia e também foi responsável pela produção visual do cara. Boa sacada né!? A cara de um, focinho do outro.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

De geração pra geração

Sábado à tarde voltava de um giro pelo centro com a Ieda quando, em frente à loja Volpato - onde há uma parada de ônibus - uma menina com no máximo dois anos gritava sem parar: "Cale-se, cale-se, você me deixa louco!". Quem tem minha idade ou um pouco menos sabe decor e salteado que esta expressão pertence a um personagem do humorístico Chaves, que há mais de duas décadas é exibido no Brasil pelo SBT. Pois é, uma das referências do Kiko estava sendo gritada (e gritada mesmo, sem parar) por uma menina que mal aprendeu a falar. Imediatamente eu e a Ieda nos olhamos e surgiu um comentário nesse sentido. Na hora eu disse: "Isso dá um post", expressão que vem se tornando rotineira, pois na verdade, tudo - ou quase tudo - rende uma postagem. Bom, mas, voltando ao assunto principal (já que o "dar post" merece um post à parte), este humorístico feito de forma simples, gravado na década de 70 no México e dublado de uma forma bem "meia-boca" influencia gerações e promete continuar assim. A prova disto está na frente entoada pela pequena. Eu sou fã confesso do Chaves e do Chapolin e só não os assisto mais por falta de tempo e, principalmente, porque os horários que vão ao ar não me permitem uma olhadinha sequer. O fato de eu ter assistido a todos os episódios dos dois não seria empecilho. A simplicidade como o seriado foi produzido e como as situações acontecem devem ser o grande segredo do sucesso do Chaves. Pelo menos eu acredito que seja.

Como ilustração eu ia usar uma foto que vi no perfil da Renatinha (ouvinte assiduíssima da SP3). Lá ela postou várias fotos do seriado dizendo: "Eu assisto o Chaves, e daí?". Não sei a idade exata da Renata, acho que ela tem uns 15 anos, mas é mais um reforço à minha tese de que o Chaves passa de geração pra geração e vai continuar assim, pelo menos enquanto o Silvio Santos quiser e nós fizermos questão de divulgar. Acabei não usando a foto e optei por um pequeno vídeo do "histórico" episódio que a turma do beco viaja pra Acapulco... Boa viagem a todos! Se alguém quiser ver a sequência completa, é só ir por esse link do you tube que passa automaticamente de uma parte para outra: http://www.youtube.com/watch?v=rzrqdcgNGGw&feature=PlayList&p=D57A6C03ADDE8FED&index=0&playnext=1

domingo, 18 de janeiro de 2009

O frontal que vale muito

Celebridade é assim, sempre que está no topo aparece algo que ela tenha feito no passado e que se arrepende (ou não) e que acaba rendendo milhares de dólares a alguém. Neste caso a celebridade já está no auge há três décadas e atende pelo nome Veronica Ciccone, ou simplesmente Madonna. Uma foto dela "DE FRENTE", cujo ensaio completo - no distante 1979 - custou ao fotógrafo a bagatela de 25 dólares, vai ser leiloada em breve e deve render cerca de 10 mil verdinhas. A foto nem inédita é, pois foi publicada pela Playboy americana em 85, mostra uma dançarina de 20 anos e no auge do "não à depilação". Há quem goste, mas digamos que nos dias de hoje Madonna seria muito criticada pelo visual "desleixado". Pra não chocar muito, postei a foto "incompleta". Abaixo está o link que permite ver tudo com detalhes e direito a um zoom que mostra a Madonna como você nunca viu...

http://www.christies.com/LotFinder/lot_details.aspx?from=salesummary&intObjectID=5176357&sid=31b93f49-8392-4426-9e51-d1870ed46a7f

sábado, 17 de janeiro de 2009

Diário de um cozinheiro

Sábado é dia de faxina por aqui e Dona Ieda, aquela que realmente manda em casa, resolveu me nomear "cozinheiro do dia". Desde a composição da lista de ingredientes, às compras e o "fazer" da receita do dia, tudo comigo. O prato do dia, aliás, já havia sido definido na noite anterior, quando eu sugeri uma Galinha do Zé - receita simples que aprendemos muito tempo atrás com o Anonymus Gourmet -. Até aí tudo bem, afinal de contas volta e meia eu assumo a tarefa de comandar na cozinha, apesar do estilo meio preguiçoso-desastrado-assustado. O detalhe foi eu ter dito que ia usar o avental. Isso foi o despertar para uma sessão de fotos, registrando o passo a passo da receita. Sempre que partia para uma nova etapa, lá vinha a Ieda com a sua Canon para fazer os cliques. Vou reunir todas elas, em ordem cronológica e pôr no orkut, no máximo amanhã. Os quatro registros que ora publico mostram o início do trabalho no fogão, a comida posta à mesa (nossa, que vocabulário rebuscado), o servir e, por fim, o saborear, este protagonizado pela Ieda. Ah, só pra constar, não aceito encomendas, não cozinho pra fora e não vou convidar ninguém pra vir provar meus preparados... certo!?







sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Anoiteceu em Bento Gonçalves

Cai a noite, final de novela, estômago cheia depois de uma janta reforçada e cá estou. Vários assuntos em mente, inclusive o final da novela - pra quem acha que sou 100% anti-novela -, mas resolvi postar aqui um vídeo que ontem deixei lá no orkut. Não tenho intenção nenhuma de ficar me mostrando ou querendo que as pessoas fiquem fazendo rasgados elogios (críticas também podem vir, é um risco que corro). A postagem do vídeo tem o simples objetivo de mostrar uma pequena fração da tarefa que desempenho todos os dias, atrás de um microfone, animando pessoas, acompanhando-as no seu dia-a-dia, mas, antes de tudo levando a elas o que chamamos no FM de "vibe positiva". Todo fim de tarde é assim: 17 horas eu bato o cartão, deixo o trabalho na produção da SP3 e, como costumo dizer, "salve, salve e vamo que vamo!". A filmagem foi feita por um motivo que até hoje nem sei qual, mas a intenção era transformar em imagem o que fazemos todos os dias sem ela (tá, tem a webcam do estúdio, mas essa não conta). Os 1'17" de fama foram feitos pelo talentoso Jota Junior, cumpadi e brother que, em breve, deverá mandar o seu também pra "grande rede". Mas isso é problema dele né... Então, que abram-se as cortinas e comece o espetáculo... hehehe. Bom final de semana a todos. Se cuidem, se comportem e a gente se vê por aí!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

O 14 de janeiro

Alguns dos fatos que narrarei aqui talvez justifiquem minha ausência ontem por aqui, assim espero. Ontem era 14 de janeiro e até aí nenhuma novidade. Acontece que no mesmo 14 de janeiro, só que do ano passado, eu, Jacintho Junior (o cumpadi Jota pros mais íntimos) e André Tajes assumíamos publicamente um desafio e tanto: ancorar o Papo de Redação. Pra quem não o conhece, ontem ele completou um ano no ar pela Viva News e é basicamente - como o nome diz - o espaço que a redação da emissora tem para discutir assuntos relevantes ou não do corrido dia na redação de uma emissora que pratica jornalismo por pelo menos 18 horas diárias. Dos integrantes originais apenas o Jota permanece (eu hoje estou locado para a SP3 e o André está na Pop Show de Flores da Cunha, ambas integrantes do Grupo RSCOM), mas o programa segue seu rumo mesmo assim com a Greice, o Kwecho, o Machado, as vezes o Quadros e por aí vai. Plantamos a semente, tomamos vários "choques", recebemos alguns elogios, mas o que interessa mesmo é que nos orgulhamos de ter feito parte da trajetória que agora caminha para o segundo aniversário.

Bom, mas esse papo todo é pra chegar na comemoração. Mesmo sem se dar conta do dia, eu e o Jota havíamos marcado um chopp básico no shopping, numa espécie de despedida antes das curtas férias que desfruto desde hoje. Depois do expediente, então, lá fomos nós comer uma pizza, tomar umas e trocar idéias sobre todos os assuntos possíveis antes do shopping fechar e alguém nos pedir gentilmente pra deixar a praça de alimentação (diga-se de passagem, quando saímos de lá só tinha o mala do Arce, um dos seguranças e que veio do Boqueirão pra cá me torrar a paciência). Mas o "bilhete" acima aí não tem nada a ver com o Arce. Nos foi entregue lá pela terceira caneca de chopp - bebemos por nós e pelo Tajes que estava ausente -. O menino chegou, meio sem jeito e disse: "O pai mandou eu entregar pra vocês". O "pai em questão" é o Marcelo, dono da Cia do Bauru, que fica no shopping e serve de tudo, menos o chopp que a gente gosta de beber (problema dele que tá deixando de ganhar dinheiro). O "KANAL'HAZ" tem a ver com um termo que usamos com frequência, não só no Sal de Frutas, mas também no dia-a-dia sempre que alguém comete ou ameaça cometer uma canalice. Como o Marcelo é nosso seguidor, tanto no Papo quando no Sal, a gente entende e assim como ele NOS AMA, também AMAMOS VOCÊ, Marcelo.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Vai começar de novo...

Acabo de ver o Pedro Bial dizendo durante o intervalo da novela que "a hora está chegando". Pois é, vai começar a 9ª edição do Big Brother. Tudo de novo! As mesmas armações, as mesmas proteções a candidatos, os mesmos favorecimentos e e escolhas dos produtores do programa. Mas e isso tudo, o que interessa? A todos que acompanham o BBB isso não faz a mínima diferença. Não sou adepto do programa, nunca fui, mas confesso que sempre paro pra dar a tal espiadinha e, invariavelmente, na reta final, acabo torcendo por este ou aquele candidato. O que não posso admitir é que pessoas mudem suas rotinas por conta disso, assim como não aceito que pessoas deixem de fazer coisas, de participar de compromissos e seja lá mais o que deixar de ser feito por causa de uma novela ou um programa de tv que te prende ali, todos os dias durante meses. Vou acompanhar a estréia enquanto preparo minha coluna para o SerraNossa e amanhã faço alguns comentários. Como já fiz em outras ocasiões (e quem é visitante recente não deve lembrar) vou até eleger minha participante favorita. Aguardem!!!!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Males que vêm pra bem

Bom, em primeiro lugar gostaria de agradecer às manifestações recebidas no último post e a solidariedade de quem, como eu, já enfrentou situações difíceis, seja para provar um MCFlurry ou numa outra simples situação do cotidiano. Temas para hoje, muitos, inspiração, quase zero. Hoje cheguei em casa e enfrentei uma barra pesada. Acreditem, a Ieda sonhou que era encanadora e tento fazer um conserto que terminou em um registro emperrado. O resultado: a água só retornou ao nosso humilde lar depois das 10 da noite. Apesar da situação lamentável e suas consequências (que incluía ter que dormir sem tomar banho depois de um dia estafante), a situação também me faz parar pra pensar no quanto a água é importante. Não que eu seja uma dessas pessoas que joga água fora sem pensar no amanhã ou que simplesmente ignora os avisos de que a água pode virar artigo raro em breve, mas enquanto a necessidade não bate, você nem sempre raciocina como deveria. Alguém aí já parou, mas de verdade, pra pensar no que será de nós se a água do planeta desaparecer? Não por um banho não tomado (sempre se dá um jeito), mas por não podermos ingerir uma gota sequer do líquido que hoje desperdiçamos meio que inconscientemente. Vamos fazer comida com água da chuva? Não posso prometer que serei "uma pessoa melhor" como costumo dizer, mas vou me esforçar - e muito - pra deixar de cometer "pequenos delitos" que hoje cometo com algo tão sagrado e que nossas gerações futuras podem nem conhecer ou ter que pagar muito caro para tê-la.

sábado, 10 de janeiro de 2009

Qual o sabor do MCFlury?

Tá certo, aposto que a maioria não tá entendendo nada. Onde eu quero chegar com esse título? Pois é, hoje vou usar este espaço democrático (pelo menos o considero assim) pra reclamar. Sei que pra muita gente acha eu sou um reclamão e tanto, mas não é tanto assim. Acontece que hoje, nas minhas constas pela sexta vez, eu tentei consumir um sorvete do McDonald's aqui de Bento. Não, não é mentira! Só o tal do MCFlurry eu já tentei experimentar umas 5 vezes. Numa delas a atendendente me disse que estava fechada por meia hora pra "balanço". Na seguinte havia acabado o chocolate, e assim por diante. Hoje até fomos num outro shopping e na saída recebi o convite para uma nova tentativa. Eu bem que avisei a Ieda que não seria uma boa, pois já havia prometido nunca mais comprar sorvete deles (sim, eu sou tosco assim mesmo). Pela persistência acabei indo pra fila... Vocês não vão acreditar!!! Havia um casal na nossa frente, aguardando a menina repor o sorvete na máquina, espremer até sair algo e nada... nada! Desisti e fui aconselhado a sentar (ao lado do Ronald, única referência do verdadeiro MCDonald's), até que a menina devolveu o dinheiro ao casal da frente por não ter sido capaz de encher duas casquinhas com sorvete suficiente para satisfazê-los numa tarde abafada de sábado. PQP!!!! Será que vou morrer sem saber qual o sabor do tal MCFlurry? A Ieda já experimentou e diz que é uma delícia. Acredito nela, mas também acredito que se depender da minha boa vontade e da turma do MC de Bento, é mais fácil fazer uma turnê interplanetária a experimentar a tal delícia... Que fase! Ótimo domingo a todos e uma dica, se estiverem com muita vontade de tomar um sorvete, use o MCDonald's como última opção ou vão ficar só na vontade.

Gente exigente!!!

No post anterior escrevi sobre a ausência de postagens. Ao mesmo tempo que "cutuquei" os colegas de blog, também fiz a mea culpa e até citei o "puxão de orelha" mais recente que levei. Claro que eu sabia que não ia ficar por aí, tanto que escrevi: "não vai ser a primeira, nem a última vez que isso acontece". Dito e feito. No mesmo post levei outro "cutuco". Dona Letícia (ela detesta ser chamada assim) aproveitou o gancho pra dar uma pedrada neste blogueiro. Tomara que isso não vire moda, né? Não que es esteja tirando a razão da Tânia, da Letícia e de qualquer outro que venha até aqui para criticar. É um direito que os visitantes fiéis adquiriram com o passar dos tempos. Só, por favor gente, vamos com calma, pois blogueiro também é gente (nossa, que dramático isso!). De qualquer forma, o que fica disso é essa interatividade entre quem escreve e quem lê. Parafraseando um velho comercial de tv: "Não basta visitar, tem que participar". Interatividade é tudo!!! Então, amigos blognautas, vamos firmar um compromisso. Mantenho minha regularidade, mas quero mais comentários. A campanha está aí: Faça um blogueiro feliz... Ah, só pra completar, daqui a pouco eu volto pra fazer a postagem que eu pretendia. Você sabe qual o gosto de um MCFlurry?

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Nem tão devagar!

Sempre digo que a vida deve ser levada "devagar e sempre". Mesmo lema que utilizo aqui no blog. Feliz ou infelizmente, nem todos pensam como eu, ou até pensam, mas perdem a paciência quando entram duas ou três vezes no blog e não veem nada de novo. Eu mesmo sempre estou "cutucando" os blogueiros perceiros afirmando que não costumo ficar correndo atrás de novas postagens. Vou lá, dou uma olhada, se não tem nada, não volto tão cedo. Não é que hoje provei do meu próprio veneno!? Hoje à tarde conversava pelo msn com a amiga e ex-colega de RSCCOM, Tânia Trentin, com quem não conversava mais prolongadamente há um tempo e ela largou "na lata", no melhor "estilo Tânia": Vê se atualiza aquele blog lá!!! Até tentei me justificar dizendo que nos dias em que a dupla GreNal chegou a Bento eu estive na cobertura (no findin vou postar umas fotos e contar histórias sobre estas coberturas) e que meu horário de postagem ficou comprometido por isso, não consegui convencê-la. Como eu disse, a Tânia não é a primeira, nem vai ser a última a me puxar a orelha por causa das postagens, mas, graças ao "pito", cá estou, fazendo a postagem em cima do nosso papo. Valeu Tânia! você salvou meu dia, ou pelo menos a postagem do dia.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Lento demais...

Quem me conhece sabe que depois de uma noite mal dormida eu fico imprestável. Pra piorar, o dia foi corrido e nem tive tempo de almoçar direito. Muita gente deve estar se perguntando: "tá, e daí"? Sim, ninguém tem nada que ver com isso! Na verdade só estava tentando justificar minha ausência de ontem e a pouca inspiração de hoje. Além disso, o "queridinho da família", o tal laptop que viaja comigo pelos quatro cantos, resolveu não reconhecer a rede sem fio caseira que foi fabricada por aí e tive que retornar ao "velho desktop de guerra". Nossa, tô parecendo um velho, que quando não tem do que reclamar, acha algo pra tanto, então, antes que eu me torne o "bolgueiro rabugento da semana", fica um videozinho básico para desgustação dos senhores e senhoras que por aqui passam diariamente. Aliás, a lista de seguidores do Blog cresce a cada dia e cabe aqui um agradecimento especial a todos que estão mostrando a cara por aqui. Quem passa e não se cadastra, pensa melhor amanhã... tô esperando você! Curte aí...


segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Tonhão está de volta?

Tá, eu confesso, nos últimos tempos tenho acompanhado um pouco mais de perto da novela das 8 que começa as 9 e 15. Costumo dar méritos a tudo que merece ser valorizado e, não é por não ser fã das novelas que não sei valorizar. Nesse caso, A Favorita, merece vários destaques, mas, em resumo é preciso ressaltar que João Emanuel Carneiro está conseguindo manter a linha inicial, coisa rara nos autores de novela hoje em dia, incluindo o próprio Carneiro. O fato de ter grandes atores em seu cast também faz diferença. Ary Fontoura, Patrícia Pillar e alguns outros usam toda sua categoria para manter o bom nível, porém, nem tudo são flores. A atuação de Cláudia Raia, por exemplo, está uma caricatura. Sem o sotaque do início da novela, a ex-milionária fugitiva, mais parece um antigo personagem do humor brasileiro, vivido pela própria Cláudia em outros tempos. Como boa parte dos visitantes provavelmente não vai lembrar do dito personagem, eis aí um vídeo que mostra como a Donatela de "A Favorita" se parece com o Tonhão da "TV Pirata". Assiste aí e me diz se tô tão longe assim da verdade.

domingo, 4 de janeiro de 2009

A reforma vem aí e o bicho vai pegar...

Na verdade ela não vem aí, ela já está aí. A tão comentada e até mesmo maldita (por alguns) reforma ortográfica já está em vigor. Há quem aposte que ela vai levar três anos pra ser efetivada, aliás, esse é o prazo final dado para que ela entre em vigor. Não vou discutir seus méritos, se ela serve para facilitar a comunicação entre os países que falam o português, muito menos se ela não deveria vir depois de ensinarmos todos os brasileiros a escrever, simplesmente escrever corretamente. De qualquer forma o assunto é interessante demais. Vou me esforçar para compartilhar com os amigos alguns pensamentos que tenho e até mesmo algumas dúvidas, que podem ser comuns a todos nós. Por exemplo: como ficam os adeptos do "internetês"? Estes viventes que confundem a linguagem usada no msn com a verdadeira, aquela que os livros nos ensinam desde os primeiros anos de vida, será que vão entender algo? Será que vão tentar entender ou simplesmente vão continuar alheios às regras básicas do bom e velho português? De qualquer forma, andei pesquisando algumas coisas e repasso a vocês na intenção de ser útil numa hora dessas em que praticamente teremos que começar de novo em algumas coisas. A verdade é que algumas regras já eram tão complicadas e difíceis de entender que não vai fazer diferença se mudou ou não, pois continuaremos sem entender...

Fim do trema
O acento é totalmente eliminado. Assim, a palavra freqüente passa a ser escrita frequente. Só nomes estrangeiros como Müller manterão o trema.

Eliminação de acentos em ditongos

Acaba-se o acento nos ditongos “ei” paroxítonas. Assim, idéia vira ideia.
O acento circunflexo quando dois “os” ficam juntos também some. Assim, vôo vira voo.

Cai o acento diferencial
Aquele acento que diferenciava palavras homônimas de significados diferentes acaba. Assim, pára do verbo parar vai ficar apenas para.
O acento diferencial permanecerá nos seguintes casos:
- pode (como presente do indicativo) e pôde (no pretérito)
- por (preposição) e pôr (verbo)
- A terceira pessoa do plural de ter e vir permanece com acento, assim como suas variações. Eles têm, eles intervêm.

Mudanças nos hifens
Sai a maioria dos hifens em palavras compostas. Assim pára-quedas vira paraquedas.
Quanto houver necessidade, será dobrada a consoante. Assim contra-regra vira contrarregra.
Será mantido o hífen em palavras compostas cuja segunda palavra começa com h como pré-história.
Em substantivos compostos cuja última letra da primeira palavra e a primeira letra da palavra são a mesma, será feita a introdução do hífen. Assim microondas vira micro-ondas.
As palavras que têm os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré e pró ficam com o hífem. Portanto, será escrito como antes: ex-presidente, sem-terra, recém-nascido e pós-graduação.
Assim como as palavras com os sufixos de origem tupi-guarani: açu, guaçu
e mirim. Quem escrevia jacaré-açu vai continuar escrevendo jacaré-açu.

Inclusão de letras
As letras antes suprimidas do alfabeto português (k, y e w) voltam, mas só valem para manter as grafias de palavras estrangeiras;

Fim das letras mudas
Em Portugal, é comum a grafia de letras que não são pronunciadas como facto para falar fato. Essas letras somem com a reforma.

Dupla acentuação
Há algumas diferenças de acentuação entre o Brasil e Portugal principalmente quando se fala do acento circunflexo e agudo. Assim, os brasileiros escrevem econômico e os portugueses, económico. Essa diferença foi mantida.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Fevereiro promete

Quem me convive comigo (e até quem não convive tanto assim) sabe, ou pelo menos deveria saber, que sou bem eclético, mas me considero um cara de gostos apurados e convicto. Se gosto, gosto, se não gosto... fod... bom, deixa assim. Uma das minhas preferências mais evidentes - inclusive pra quem me conhece pouco - é ouvir, ver, ler, traduzir... Alanis Morissette. O gosto por esta canadense cheia de energia e talento é tão forte e evidente que no dia que o show em Porto Alegre foi confirmado (10 de fevereiro, no Pepsi on Stage), uma galera me perguntou: "Já tá sabendo...?". Antes mesmo da frase concluída eu dizia: "Sim, 10 de fevereiro, em Porto Alegre e eu estarei lá". Essa "paixão" por ela não tem nenhuma explicação lógica. Simplesmente ouvi "Jagged Little Pill" (cd que a tornou conhecida para o mundo) e a partir dali nos tornamos íntimos. Nada que a Ieda não compreenda, pro caso de alguém perguntar. Pois é, fevereiro promete e minha viagem pra Porto Alegre já tá marcada. Nem sei ainda como vou, só sei que vou. Pros que quiserem entender isso daí, deixo uma sugestão: assista essa versão ao vivo de "You Oughta Know", captada durante a turnê do "Jagged...", ainda em 1995. No álbum a música conta com a participação de dois "Red Hot", ao vivo ela toca com a melhor formação de banda que conseguiu, isso na minha modesta opinião.

Assiste aí e se quiser mais, vai no novo link aí na barra, que disponibiliza vídeos pra você assistir sem sair da blog. Por enquanto só tem clipe dela... hehehe. Bom findi chuvoso a todos.

O findi promete

Tá, tá bom, findi é um termo, como diria o Lobão, "meio gay", mas tudo bem, vou usá-lo mesmo assim. O sábado começou com a chuva, que por sua vez promete ficar até a chegada da segunda-feira ou invadir a primeira "semana útil de 2009". O ano está oficialmente começando, ainda que alguns defendam a tese de que o ano brasileiro só começa mesmo depois do carnaval, ou seja, só mesmo no final de fevereiro. Se isso é mesmo verdade, tá na hora de sentar e listar seu projetos para o novo ano. Aos que, como eu, acreditam que mudança de ano é só um piscar de olhos e que temos que tocar a vida no mesmo ritmo - com uma folguinha aqui, outra ali -, bem vindos a 2009 e mãos à obra. Aos que estiveram viajando, curtindo férias na praia, viajando no feriadão, vamos lá, tá na hora de colocar em prática os itens da lista que alguns vão começar a fazer agora para praticar a partir de março. Ô gente! Pelo amor de Deus, vamo logo!!! Não deixa pra pra amanhã o que você pode fazer hoje. A máxima é das mais antigas, mas continua valendo como poucas, portanto, acorda pra vida (nesse caso pra 2009) e vamos mudar o mundo ou pelo menos tentar fazê-lo melhor. Quem estiver a fim, de verdade, vem comigo...

A figura aí em cima simboliza a mudança.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

A primeira

Criativo eu né!? A última postagem de 2008 e a primeira de 2009 tiveram seus títulos escolhidos a dedo. Mas, na verdade, esta é a primeira postagem, portanto, vale o título seim e fim de papo. Em minha primeira passagem por aqui neste novo ano recém iniciado, gostaria de dizer a todos que me sinto preparado para todos os desafios (novos e antigos que queiram se reapresentar) que se apresentem. Estou vivendo um momento maravilhoso e pretendo estendê-lo pelo máximo de tempo possível. Pendências sempre existem. Coisas pra resolver, assuntos pendentes, grandes decisões... que venham! Mas neste primeiro dia de 2009 gostaria de compartilhar com vocês um dos assuntos presentes em nossa humilde ceia de virada de ano. Lembrando de fatos e pessoas, óbvio que eu e a Ieda não poderíamos deixar de falar do Paulo Bandeira. Durante mais de 10 anos eu e o Vaucher (sim ele se chama Paulo Edemilson Vaucher Bandeira) trabalhamos juntos pela Rádio Santiago. Na maior parte deste tempo de convívio ele era funcionário da emissora e eu um jovem repórter esportivo aprendendo e sonhando um dia fazer parte do seleto grupo de jornalistas da Super (como sempre chamamos a poderosa Rádio Santiago). No início de 2006 entrei oficialmente para a folha de pagamento da emissora e estreitei ainda mais os lances com o Band. Não que isso fosse tarefa fácil, pelo contrário, ele sempre me pareceu enigmático. Confesso que sempre tive um pé atrás com ele, porém, sempre confiando na minha intuição que me dizia que o cara era parceiro de verdade. No início de 2007 ele deixou a Super para atuar em Porto Alegre, na Rádio Pampa. Lembro como se fosse hoje a noite em que ele me ligou para contar do acerto e disse: "Assim que eu me firmar te trago pra trabalhar comigo". Quis o destino que a passagem dele pela Pampa fosse relâmpago e por alguns meses seu paradeiro foi desconhecido pra mim, mas a frase marcou. Lembro que algumas pessoas diziam que eu não deveria acreditar no "papo" do Bandeira. Na verdade eu não acreditava, nem desacreditava. Pois não é que em julho do mesmo ano meu celular toca. Adivinhem quem era? Ele mesmo. O Bandeira já era Coordenadora de Jornalismo de Rádio Viva (hoje Viva News) e me chamou para um novo desafio. "Tá a fim de um novo desafio?", disse ele. Na hora topei, mas disse a ele que precisaria conversar com a Ieda, pois nossas vidas mudariam drasticamente. Resuminfo, alguns dias se passaram (bem poucos, é verdade) e hoje estou em Bento Gonçalves, trabalhando, feliz e sempre aberto a novos desafios. Faço esse registro para dizer a vocês que o Band está e sempre estará presente em nossas vidas, afinal de contas, não fosse ele ter lembrado daquele guri lá de Santiago, hoe talvel não estivesse onde estou, nem escrevendo o que escrevo. Como disse ontem aos mais próximos, há pessoas que a gente escolhe pra fazer parte de nossas vidas pra sempre, o Band é uma dessas.