A Casa da Música Boa - Clique e Ouça!

segunda-feira, 6 de março de 2017

Resumo: Zona Azul, PEC 287, Festival, Carnaval e outras da Câmara de Vereadores

Zona Azul voltou à pauta dos parlamentares. Foto: Ieda Beltrão/Rádio Santiago

A sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Santiago desta segunda-feira (6) foi marcada pelo retorno do projeto que pretendia trazer de volta o tempo de 30 minutos no estacionamento rotativo da Zona Azul. Quem esteve por aqui mais cedo já sabe que o projeto foi aprovado por unanimidade, mas quem não sabe pode assistir o vídeo neste linkMas a sessão teve outros pontos importantes, que serão resumidos a seguir.

Proposições:
Entre as principais proposições levadas à pauta legislativa estão as dos vereadores Batista Manzoni (PP), Joel Oliveira (PP) e Rafael Nemitz (PSD).

O primeiro apenas reforçou o que já havia divulgado na sessão anterior, a proposta que trata das férias dos funcionários municipais. Batista quer que o período possa ser dividido em duas partes, ou seja, em vez dos habituais 30 dias, o funcionário público teria o direito de gozar de suas férias em dois períodos de 15. A principal justificativa é que uma ausência tão longa pode prejudicar o andamento dos trabalhos nos diversos setores.

Joel Oliveira propôs que a Câmara promova uma Audiência Pública para orientar trabalhadores rurais sobre a polêmica PEC 287, que trata da reforma da Previdência e que tramita no Congresso Nacional sob forte pressão por parte do Governo Federal pela sua aprovação. Joel ganhou o reforço de Nemitz, que solicitou que esta fosse ampliada a policiais civis e militares, funcionários da Susepe e professores. A proposta foi aprovada pela Casa e a Audiência Pública foi agendada para o dia 30 de março, às 18h, no Auditório Caio Fernando Abreu, que fica junto ao prédio da Câmara.

Nemitz também propôs que o período de licença paternidade dos funcionários públicos municipais seja ampliado de 5 para 20 dias, adequando-se a uma lei federal mais recente.

O retorno do Festival
Pela segunda sessão seguida o Festival da Música Crioula de Santiago foi assunto na tribuna. O vereador Dionathan Farias (PP) reforçou sua disposição de buscar apoio para a retomada do tradicional evento que deixou de ser realizado. Farias encontrou respaldo em Nemitz, que em sessão anterior havia sugerido que "se copiasse" o modelo seguido pela prefeitura de Palmeira das Missões. Dionathan declarou que no final de semana conversou com o deputado federal Jerônimo Goergen (PP) e que este disponibilizou um show do músico Cristiano Quevedo como forma de arrecadar fundos para a realização do Festival.

De bem com o chefe
O vereador Gildo Fortes (PP) novamente demonstrou que está de bem com o prefeito Tiago. Criticado por setores do partido e acusado de "jogar contra", Gildo reforçou o que havia dito na sessão anterior e garantiu estar fechado com Gorski, que, segundo ele, vem fazendo um excelente governo. Mesmo com as demonstrações de admiração, o vereador não escondeu que como outros da "velha guarda" desconfiou que Tiago era uma novidade e que teve medo de que sua candidatura colocasse em risco a hegemonia progressista em Santiago.

Carnaval: muito dinheiro e pouca mídia
Décio Loureiro (PP) e Rafael Nemitz (PSD) travaram um pequeno embate sobre a realização do Carnaval em Santiago. Oposição, Nemitz disse que consultou o Executivo sobre os gastos com a festa de aniversário do município e que achou que os R$ 25 mil investidos na banda poderiam ser revertidos em uma festa mais barata com artistas locais. Ressaltou que pretende questionar os gastos com o Carnaval, que, segundo ele, "é uma festa muito cara para pouca gente".

Décio defendeu a festa promovida pelo município ressaltando que muitas pessoas não têm condições financeiras de viajar ou fazer carnaval em outras cidades ou simplesmente escolhem ficar em Santiago, por essa razão a realização do Estação Folia é necessária. O parlamentar criticou a falta de empenho da mídia local em divulgar o evento.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário: