A Casa da Música Boa - Clique e Ouça!

domingo, 9 de abril de 2017

Se não dá na técnica, vai na garra. A estreia da SER Santiago na Série Bronze 2017


Não dá para dizer que a SER Santiago teve uma atuação de luxo, mas a vitória na estreia teve muito mais prós que contras. Os três pontos conquistados sobre a Serade, de São Borja, precisam e devem ser comemorados por uma série de fatores, um deles a qualidade do adversário. Há muito para melhorar, mas a caminhada é longa e o que o time santiaguense apresentou de bom também pode ser aprimorado. Sem contar o fato de ser uma estreia, de haver uma enorme expectativa por esse jogo e, claro, aquela secadinha básica de alguns.

Com Leandro no gol (Carlos André foi liberado para participar do concurso da Susepe), Titoco, Pablo, Japa e Diógenes, o time do técnico Gago foi logo tomando a iniciativa do jogo e logo a 1min30seg abriu o placar com Pablo. O torcedor ainda comemorava e Juliano aproveitou a brecha para deixar tudo igual 30 segundos depois. Com o jogo pegando fogo e a rivalidade à flor da pele, um minuto depois a SER teve um pênalti a seu favor que Japa converteu. 

Marcado por muitas faltas e interrupções (inclusive quando o árbitro quis parar a partida até que os torcedores forem retirados de trás da goleira defendida pela Serade), os primeiros 5 minutos de jogo cronometrado duraram longos 22 minutos corridos. Nesse período, em jogo trabalhada de pé em pé, Diógenes fez 3 a 1. Novamente o tempo de comemoração foi curto e no minuto seguinte, de pênalti, Léo Vaz descontou colocando entre as pernas do goleiro Leandro. Fim do primeiro tempo: SER Santiago 3 a 2 Serade.

Apesar das dificuldades, vitória veio na estreia. Foto: Júlio Martins

Na etapa final as duas equipes voltaram mais tranquilas, dispostas a evitar o grande número de faltas do primeiro tempo (Santiago cometeu cinco faltas em cinco minutos de jogo). Com o jogo mais jogado, São Borja adotou uma postura mais ofensiva e passou a dominar, criando oportunidades claras de gol, enquanto Santiago praticamente não chegava à meta adversária. O resultado foi que aos 9min Juvenil empatou e aos 12 Frois virou. A essa altura torcedor e comissão técnica se preocupavam, já que os visitantes tiveram chances até de ampliar, mas logo no recomeço após o empate Pablo fez grande jogada individual e tocou na saída do goleiro para colocar os donos da casa no comando do placar novamente.

Com o placar igualado a SER voltou para o jogo e passou a produzir mais, criando ela as chances para a virada. Os visitantes também criavam, até a 3 minutos do final Maikel sofreu falta que resultou em tiro-livre convertido com categoria por Japonês (veja o vídeo). Na bola parada Japa voltou a marcar no minuto seguinte, tranquilizando o bom público que foi ao ginásio na noite chuvosa do sábado (266 pagantes). Frois ainda descontou a 30 segundos do fim, mas antes do final, em mais um tiro-livre, André Daisson fechou a conta em 8 a 6.

Hiorran brilhou
Tido por todos com uma grande promessa, o goleiro Hiorran, de apenas 17 anos, teve a oportunidade de mostrar seu valor e deu conta do recado. Chamado para tentar evitar que São Borja empatasse a partida em tiro-livres, o jovem teve sorte na primeira cobrança, que parou no travessão, e brilhou nas duas cobranças seguintes, praticando defesas importantes para a manutenção do placar favorável. Se era o teste de fogo para o garoto, ele foi aprovado com louvor.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário: